quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Patu Atingirá 100% de Cisternas de Placas Construídas na Zona Rural

No ano de 2005 era fundado em Patu o FIOS - Fórum de Integração das Organizações Sociais de Patu - com objetivo de congregar associações urbanas e rurais no sentido de discutir políticas públicas governamentais que proporcionam uma melhor qualidade de vida para a população, principalmente mais carente.
De 2005 para cá o fórum se reúne mensalmente para tratar de temas de interesse das comunidades representadas bem como seus dirigentes não tem medido esforços para participar das incansáveis reuniões realizadas nos municípios do Território Sertão do Apodi para garantir ações para o nosso município.   
No município de Patu já foram construídas 425 cisternas de placas com capacidade para 16.000 mil litros de água, financiadas pelo Governo Federal - MDS - Ministério do Desenvolvimento Social - através do P1MC - Programa 1 Milhão de Cisternas idealizado no Governo do Presidente Lula. Quem percorrer a zona rural de Patu vai se deparar com a imagem de centenas de cisternas construídas através do Fórum das Associações.  
Neste mês de janeiro de 2012 o município de Patu foi contemplado com mais 15 cisternas que serão construídas nas comunidades que ainda não foram contempladas e desta forma atingiremos a marca dos 100%, mas, é bem verdade que ao longo dos anos outras demandas surgirão para a construção de novas cisternas.  
  
Fase de construção da cisterna de placa
Cisterneiro montando as placas
O morador conquista a sua cisterna de placa e participa ativamente do processo de construção e mobilização, diferente do processo da cisterna de plástico que será dada pelo chefe político do município onde o morador vai ficar devendo o favor pelo resto da vida.
Diretoria do Fórum das Organizações Sociais de Patu
José Marcondes - Coordenador do Fórum das Associações e o...
Prof. Aluísio Dutra - Vice-coordenador  já percorreram todas as cidades da região oeste representando Patu nos encontros da ASA e do Território Sertão do Apodi  
O Governo Dilma Está Pensando Introduzir Cisternas de Plástico e não mais Cisternas de Placas. Somos Contra, Essa Idéia é Maluca  

A mais de dez anos de atuação no semiárido, a Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA, desenvolve o programa de formação de mobilização social para convivência com o semiárido através dos Programas Um Milhão de Cisternas - P1MC e Uma Terra e Duas Águas – P1+2.
A metodologia de execução dos programas congrega ações de mobilização, capacitação e intercâmbios de troca de experiências entre as famílias beneficiadas. Essa metodologia envolve as famílias em todas as etapas de execução, inclusive no processo de construção das tecnologias sociais de captação e armazenamento de água da chuva, garantindo maior transparência, controle social e eficácia na aplicação dos recursos, garantindo a construção coletiva da cidadania no semiárido brasileiro.
Recentemente o Governo Federal noticiou a implantação de cisternas de Plástico PVC em substituição às Cisternas de Placa, transferindo a execução das ações para os governos Municipais e Estaduais, excluindo a Sociedade Civil da execução de uma política criada por ela própria através da ASA.
Reafirmamos que somos contra a essa medida impensada do Governo Federal.
Escrito pelo Companheiro Ronaldo


Mais de 15.000 Agricultores Protestaram em Petrolina-PE Contra a Cisterna de Plástico

Ruas de Petrolina - Pernambuco
A FETRAF RN Estava Lá


A famosa ponte de Petrolina e Juazeiro foi Interditada pelos manifestantes
Presidenta Dilma não seja louca de botar uma idéia estapafúrdia dessa para frente! Confiamos  no seu bom senso. 

Um comentário:

  1. Pois é, mesmo não aparecendo uma única faixa de protesto contra a cisterna de plástico junto essa "grande" massa de manobra e/ou multidão zumbi que condena a Dilma e pede a volta do Lula (e a volta das espertezas/mamatas/dinheiro farto/fácil para as ONGs dos companheiros/corruPTos), acredito é que exista um forte pensamento pontual, objetivo do "novo" PT/PMDB em "varrer" ONGs corruPTas. A adoção/substituição das cisternas de barro/cimento por cisternas de plástico prejudica quem mesmo? Quantas ONGs perderão o seu "sentido/fim operacional"? Quanta economia aos cofre públicos será feita com a contenção das despesas(confecção/logística/gerenciamento) desnecessárias? Reflitam sobre esses pontos entre outros e julguem, opinem.

    ResponderExcluir