quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Câmara Municipal de Messias Targino Homenageou Dona Maria do Junco

A Câmara de vereadores de Messias Targino realizou no sábado dia 12, uma Sessão Solene, onde homenageou Mara José de Souza, conhecida como Maria do Junco.
O Requerimento foi de autoria do Vereador Pôla Pinto (PT), que foi aprovado por unanimidade em maio deste ano. A sessão foi presidida pelo presidente Alexandre Jales.
Durante a Sessão fizeram uso da palavra, o vereador Pôla Pinto, Antenor Medeiros, Juscelino Jales, Alexandre Jales e o Advogado Alcimar Antonio de Souza, filho da homenageada.
Durante a Sessão Solene na Câmara de vereadores de Messias Targino, onde foi homenageada Maria José de Souza, conhecida carinhosamente por Maria do Junco, em agradecimento pelos seus relevantes serviços prestado ao município de Messias Targino e ao seu povo, o vereador Pôla Pinto (PT), destacou a trajetória de vida da homenageada.
"Maria do Junco, teve uma grande participação na vida religiosa de Messias Targino". "Ela atuou como uma das primeiras catequistas da Capela de Nossa Senhora das Graças durante vários anos", destacou o edil.

Pôla Pinto lembrou que seu trabalho sempre foi exercido de forma voluntária possibilitando a muitos messienses uma boa educação religiosa. "Ela também foi responsável pela criação de vários movimentos ligados a Igreja como a Pastoral da Criança, Cruzada, Equipes da Catequese entre outros", completou o vereador. Como vereador que apresentou essa homenagem estamos apenas fazendo justiça a uma pessoa que teve uma história muita extensa na vida da Igreja. "É o mínimo que este Poder Legislativo pode fazer para reconhecer toda a sua trajetória em favor de nossa cidade", enfatizou Pôla Pinto.




Discurso proferido pelo o Advogado Alcimar Antônio de Souza, filho da homenageada


Esta Câmara Municipal tem adotado a salutar prática de prestar homenagens a diversas pessoas que, de uma forma ou de outra, contribuíram para o desenvolvimento e o engrandecimento do nosso Município. Por aqui já passaram, como homenageados, cidadãos e cidadãs diversos, a maioria de Messias Targino e uma pequena parte de outras terras, mas que também colaboraram para o crescimento de Messias Targino.

Neste dia de hoje, a homenagem recai sobre MARIA JOSÉ DE SOUZA, minha mãe. O requerimento, de autoria do Vereador e amigo GENÉSIO FRANCISCO PINTO NETO, ou PÔLA PINTO, recebeu a aprovação de seus pares, que também entenderam pela justiça da homenagem.No seu livro MESSIAS TARGINO – ORIGENS, o escritor e historiador EDIMAR TEIXEIRA DINIZ, um dos mais íntegros seres humanos que conheço, aponta MARIA JOSÉ DE SOUZA como a primeira catequista de Messias Targino.De fato, MARIA JOSÉ DE SOUZA foi, por décadas, pessoa dedicada à catequese e à evangelização de muitas crianças e jovens da comunidade. Chegou a Messias Targino quando este ainda era Povoado de Junco, nascido a partir da idéia de MESSIAS TARGINO DA CRUZ, compartilhada por homens como MANOEL FERNANDES JALES ("SORINHO"), JOÃO TOMAZ DE ALMEIDA, PELÓPIDAS FRANCISCO PINTO, ZACARIAS GOMES e outros que agora não me vêm à lembrança.
Filha de NOÊMIA MARIA DE ALMEIDA e neta de MANOEL FERNANDES JALES, MARIA JOSÉ DE SOUZA viu, por muitos anos, a sua mãe cuidar da Capela de Nossa Senhora das Graças como uma segunda casa. Mais que zeladora, NOÊMIA, a minha avó, tinha pelas coisas da Capela cuidados até maiores que aqueles que destinava à sua residência.Além de realizar a limpeza diária da Capela, NOÊMIA, juntamente com as irmãs ÁUREA e ANTÔNIA e várias outras pessoas da comunidade, encarregava-se de rezar o Ofício de Nossa Senhora, todos os sábados, e ainda mantinham o hábito de periodicamente se reunirem para a oração do terço.Foi nesse ambiente de religiosidade e de dedicação às atividades da Igreja Católica que a homenageada de hoje, MARIA JOSÉ DE SOUZA, também atuou. Foi catequizadora de praticamente todas as crianças e jovens desta cidade da minha geração e de gerações próximas à minha.
A catequese de crianças e adolescentes, porém, não foi a sua única atividade ao longo de décadas de trabalho voluntário na Capela de Nossa Senhora das Graças. Aqui ela fundou o movimento da Cruzada; atuou na Pastoral da Criança, dentro dos ideais propostos e executados por ZILDA ARNS; fez parte da Equipe de Comunicação, que tinha ligação direta com a RÁDIO RURAL DE MOSSORÓ, uma emissora a serviço da evangelização e das famílias; incentivou a criação de grupos de jovens, que foram muitos; e foi, por anos, Agente de Pastoral, função que a DIOCESE DE SANTA LUZIA, de Mossoró, designava para poucos, justamente pelo tamanho da responsabilidade.Aliás, como Agente de Pastoral, MARIA JOSÉ DE SOUZA se dirigia a Mossoró pelo menos três ou quatro vezes ao ano para ali participar das Assembléias Trimestrais realizadas pela Diocese.E nunca ia sozinha, pois sempre levava consigo algumas pessoas que também trabalhavam de forma voluntária na Capela de Nossa Senhora das Graças, como ainda hoje existem.
Em Mossoró, para o desempenho das suas atribuições ligadas à Capela de Nossa Senhora das Graças, a minha mãe sempre contou com um apoio fundamental, de duas pessoas que marcam decisivamente a sua vida e também a minha. Falo dos amigos EDIMAR TEIXEIRA DINIZ e MARIA INÊS ALVES TEIXEIRA DINIZ, que sempre lhe receberam de braços abertos em sua residência, como aliás o faziam com todas as pessoas de Messias Targino que chegavam até aquele abençoado lar.Amigos, por sinal, foi o que MARIA JOSÉ DE SOUZA conquistou ao longo de toda uma vida dedicada às coisas de Deus. São muitos, incontáveis, e a gente corre o risco de cometer injustiças quando tenta relacionar.Porém, vou me arriscar a falar de forma individualizada do senhor JOÃO JALES DANTAS, ou simplesmente JOÃO CALIXTA, que foi companheiro de minha mãe em muitas jornadas voluntárias de trabalho em prol da Capela de Nossa Senhora das Graças, principalmente nas festividades de maio (o Mês de Maria) e na Festa de Nossa Senhora das Graças. Que os demais amigos também se sintam mencionados neste momento.
Além de catequizar os filhos dos outros, MARIA JOSÉ DE SOUZA cuidou também de catequizar e educar dentro de casa. Desde cedo me ensinou, do seu jeito, muitas vezes duro e rígido, como duro e rígido devem ser os valores morais e sociais de uma comunidade em dias de hoje, tão conturbados, o que era certo e o que era errado. Pôs-me a caminho da Igreja e também a caminho da Escola. Todo o seu direcionamento me tornou um cidadão de bem, com muitos defeitos como qualquer ser humano, mas um cidadão de bem.
Biologicamente, fui o único filho gerado por MARIA JOSÉ DE SOUZA. Afetivamente, a vida lhe deu outros: ELIZABETE, que hoje também se dedica à minha mãe com a mesma atenção que cuida da sua; RITA DALVACIR ("PEQUENA"), patuense que morou por muitos anos com a minha mãe, e que hoje, assim como ela, também se dedica com muito amor a diversas atividades religiosas, na Paróquia de Nossa Senhora das Dores, em Patu; LINDALVA, que também morou com a minha mãe por muitos anos, de lugar guardado no coração da sua mãe adotiva; e NOÊMIA NETA, uma sobrinha sua que foi com ela para Mossoró em busca de maior aprendizado escolar.A vida ainda lhe deu mais filhos, mesmo que temporários: MIGUEL ARCANJO DE ALMEIDA FILHO, NOVINHO, NONATO ALMEIDA, PAULINA ALMEIDA, MARIA DO CARMO, MARIA JOSÉ DE BEATRIZ e PAULO, que atualmente reside no Pará, foram alguns dos que passaram por sua residência, quando ela morava em Patu, na busca pelo saber, pois, na época, Messias Targino não oferecia ensino em todos os níveis do atual ensino básico, e essas pessoas buscavam em Patu um complemento educacional. Talvez a minha mãe nunca lhes tenha dito, mas reservadamente sempre lembrou com nostalgia dos momentos em que vocês estiveram lá.Seus irmãos biológicos foram muitos, graças a Deus. Ela sempre gostou de todos, sem distinção, mesmo que, como irmãos, um ou outro desentendimento aconteça, o que é natural em qualquer família.
Há também os irmãos afetivos de MARIA JOSÉ DE SOUZA. São aqueles parentes com os quais ela sempre manteve uma estreita relação de amizade, que se tornaram menos primos e mais irmãos. Os filhos de sua (e minha) TIA SEBASTIANA ALMEIDA, os filhos de TIO JOÃO TOMAZ DE ALMEIDA, os filhos de FRANCISCO TOMAZ e os de TOMAZ MANOEL DE ALMEIDA são exemplos dessa estreita relação de amizade, e, por que não dizer, de irmandade.Neste dia de hoje, assim como noutros de sessões solenes, a Câmara Municipal de Messias Targino faz um resgate de parte da história do Município, e também a escreve. Homenagens como esta são registros relevantes e às vezes até necessários para que possamos contar, com orgulho, a nossa história.O vice-prefeito RUBINHO me dizia esses dias que, ao receber o convite para esta sessão, lembrou de imediato de uma música de Padre Zezinho que a minha mãe fazia tocar quando ia visitar as Escolas, levando consigo um gravador, que servia para auxiliar naquela missão quase que diária de evangelização.
Outro dia, na missa de ação de graças por mais um aniversário de vida da homenageada de hoje, constatou-se o que já falei anteriormente: que nesta cidade quase todos de gerações mais passadas foram alunos ou alunas da catequista MARIA JOSÉ DE SOUZA. A prefeita SHIRLEY, o vice-prefeito RUBINHO, o vereador PÔLA, e tantos outros aqui presentes receberam lições de evangelização, ora na Capela de Nossa Senhora das Graças, ora nas Escolas.Hoje, agradeço a Deus por ter possibilitado a minha mãe de fazer, por décadas, o que ela mais gostou: justamente servir a Deus.E também agradeço a Deus por me dar a possibilidade de apresentar a MARIA JOSÉ DE SOUZA um prolongamento da minha passageira existência, os seus netos JOÃO VÍTOR e MARIA RITA.
A você, minha mãe, obrigado por tudo.Esta comunidade, hoje, por seu Poder Legislativo, também lhe agradece pelos relevantes serviços que lhe foram prestados voluntariamente.Aos Vereadores que votaram e aprovaram o projeto de autoria do amigo PÔLA PINTO, e a este próprio, segue o nosso sincero agradecimento.Aos amigos que vieram a esta Casa Legislativa nesta tarde, o nosso sincero muito obrigado.








Fonte e fotos: Blog do Pôla Pinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário