sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

História de Seu Dirceu da Capela de Santa Teresinha.

Edceu Francisco da Silva, conhecido popularmente como Seu Dirceu, nasceu no dia 18 /12/ 1938 no sítio São Francisco, distrito de Catolé do Rocha-PB. Casou-se com dona Maria Severina da Silva natural de Catolé do Rocha PB, no dia 31/10 /1959 na igreja Matriz Nossa Senhora dos Remédios Catolé do Rocha-PB. Edceu e Maria Severino tiveram os dois primeiros filhos na Paraíba, mudaram-se pra o sítio Cajueiro, município de Patu-RN, onde residiram até o ano de 1968, na atividade de agricultor, mudando- se para a zona urbana de Patu nesse mesmo ano onde tiveram os outros filhos, no total de 10, sendo que dois faleceram. Os filhos vivos são: Maria de Fátima, Francisca, Ritinha, Maria José, Dorinha, Dudé, Mundinho e Marquinho. Para sustentar a família seu Dirceu começou a vender pão no sítio cajueiro, torado, castanheiro, morada nova e região, trabalhou também como cambista onde fazia jogo do bicho, sempre arrumando uma forma de trazer o sustento da família com muita dignidade e alegria. Uma das coisas que admiramos nele, era a preocupação com quem não tinha onde morar para estudar, acolheu muita gente em sua casa, onde não tinha muita coisa, mas sobrava amor. 
Sua marca maior era a alegria contagiante, apaixonado pela esposa e filhos, transferiu essa paixão para os netos, sempre uma festa quando nascia mais um, sendo 22 netos e 14 bisnetos, todos marcados com seu amor. Seu Dirceu era muito irreverente, gostava muito de brincar, cantar, contar piadas. Uma de suas brincadeiras era dizer que Patu tinha muito corno e ele era o prefeito deles, onde chamava de “Os Venta Suada”. Certa vez ele foi entrevistado na Serrana FM de Patu e contou essa história. Seu Dirceu também era um homem muito religioso, tinha participação efetiva nas atividades religiosas da Capela de Santa Teresinha, onde ao lado de Dona Tetê, Abigail e Dona Neusa Alexandrino trabalhavam diariamente para a edificação daquela capela. Ele participava também das atividades religiosas da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores onde fazia parte do terço dos Homens. No dia 11 de junho de 2011 seu Dirceu sofreu um AVC que tirou a sua vida, deixando triste a população de Patu que tinha muito respeito e admiração por sua pessoa e família.
Dona Neusa, Seu Dirceu e Dona Abigail

Dona Tetê e Seu Dirceu


Reportagem de Aluísio Dutra de Oliveira.


Colaboração Dorinha Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário