segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Orçamento Participativo.

Para Muitos Municípios um Sonho Quase Impossível de se Realizar. Em Icapuí-CE Iniciado há Mais de 20 Anos

Orçamento Participativo (OP) é um mecanismo governamental de democracia participativa que permite aos cidadãos influenciar ou decidir sobre os orçamentos públicos, geralmente o orçamento de investimentos de prefeituras municipais, através de processos de participação cidadã. Esses processos costumam contar com assembléias abertas e periódicas e etapas de negociação direta com o governo. No Orçamento Participativo retira-se poder de uma elite burocrática repassando-o diretamente para a sociedade. Com isso a sociedade civil passa a ocupar espaços que antes lhe eram “furtados”
 No Orçamento Participativo o povo é ouvido e opina sobre os anseios da comunmidade
Icapuí-CE

Para muitos municípios do Brasil o Orçamento Participativo ainda é um sonho quase impossível de ser realizado pela falta de interesse dos gestores públicos que não querem ou não desejam proporcionar esta importante ação para os seus moradores.
A  cidade de Icapuí-CE foi a primeira do Nordeste a implantar o Orçamento Participativo, na primeira gestão do prefeito Dedé Teixeira (PT), que admisitrou aquela cidade Cearence por três mandatos. A administração de Dedé Teixeira projetou Icapuí para o Brasil a para o mundo onde recebeu prêmios nacional e intenacional.  

Atimar, Lucélia Ribeiro e Dedé Teixeira em Jantar na cidade de Patu

Deputado Estadual pelo PT do Ceará, em seu segundo Mandato, Dedé Teixeira ministrou palestra sobre Modelo de Gestão Pública: O Caso de Icapuí, no 8º ENCUC, a convite da organização do evento e empenho do Gerente Geral da Caixa Econômica de Horizonte - CE, Atimar Godeiro, que viabilizou a vinda do mesmo a Patu onde ele relatou suas experiências a frente da administração do município de Icapuí. Dedé Teixeira disse que os gestores municipais valorizem mais seus contadores públicos para que os mesmos estejam a disposição da prefeitura todos os dias, não é mais cabível um contador prestar serviço a prefeitura uma vez por mês, como normalmente acontece. Muitos gestores públicos estão se prejudicando e sofrendo processos, muitas vezes por coisa banais, simples, pela falta de um contador diário na prefeitura e isso vem trazendo consequências desagradáveias aos gestores como processos e mais processos caindo na rede da lei da ficha suja por falta de um contador mais presente na gestão pública.        

Nenhum comentário:

Postar um comentário