sábado, 11 de fevereiro de 2012

Hoje na Boate Pântanos de Patu

Prévia Carnavalesca
A Noite do Enfica


Organização: George Godeiro



Morre em São Paulo a última irmã de Lampião

Mocinha e Lampião

Maria Ferreira Queiroz, conhecida como dona Mocinha, morreu na tarde de ontem (10), em São Paulo. Ela era a única irmã viva de Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião. Segundo a família, ela foi internada horas antes de falecer com problemas pulmonares, mas não resistiu. O velório e o local do sepultamento ainda será definido pela família.

O documento de identidade da irmã de Lampião indica que ela nasceu em 8 de janeiro de 1906, portanto, ela teria completado 106 anos, mas ela sempre se recusou a afirmar que tivesse essa idade, mas alegava que não era por vaidade. Ela tem outro documento que aponta a data de nascimento em 8 de janeiro de 1910. Era por este documento que dona Mocinha costumava se identificar.
Ela vivia em um apartamento com os filhos Expedito e Valdeci, em Santana, na Zona Norte de São Paulo. Os parentes mais próximos que também moram em São Paulo, além dos dois filhos, costumavam visitá-la, principalmente na data de aniversário dela.
"Ainda não sabemos onde será o velório e nem o sepultamento. Ela estava doentinha, vez ou outra ela era internada para cuidar da saúde. Já tinha muita idade. Acreditamos que foi insuficiência pulmonar", disse o neto Marcos Antonio Tavares, 53 anos.O pesquisador e historiador Antônio Amaury Correia, que mora perto de dona Mocinha, foi um dos responsáveis por descobrir a segunda data de nascimento da irmã de Lampião.

Fonte: Jornal de Fato



Secretário Rivelino ao lado da prefeita Evilásia

Houve um tempo em que o município de Patu era desacreditado em todo o Estado, onde obras não andavam, recursos era mal aplicados e não existia transparência nos gastos públicos, enfim, um passado escuro em que Patu não tinha credibilidade junto aos seus servidores municipais e fornecedores.

Patu era uma cidade sem gestão financeira, onde os recursos públicos eram mal aplicados e o servidor sofria com o desrespeito dos atrasos e falta de repasses para setores essenciais ao município, como por exemplo a educação e a saúde pública. Todo este descaso ficou no passado, é fato, mas os seus frutos ainda são colhidos até os dias atuais, através das constantes e já famigeradas INADIMPLENCIAS.

Ao assumir a administração municipal, a prefeita Evilásia Gildênia trabalhou muito para RECONSTRUIR não só a cidade como um todo, mas também as finanças do município, que se encontrava completamente desorganizada, sem prestação de contas, sem planejamento e o pior de tudo, sem documentos públicos, um verdadeiro caos. Mas tudo isso ficou para trás tão logo a prefeita nomeou uma equipe preparada e qualificada, comandada pelo secretário de finanças Rivelino Câmara, para por em ordem as finanças da cidade.

Ao assumir a árdua tarefa de reorganizar o setor financeiro público de Patu, Rivelino teve que administrar os poucos recursos do município para que as obras de reconstrução, os serviços, os fornecedores e principalmente os servidores públicos municipais não pagassem o preço do descaso do passado.

Toda a população é conhecedora dos diversos problemas financeiros enfrentados pelo município, fruto das constantes quedas de repasses do FPM e das inadimplências, que impediam a entrada de importantes recursos no município. Mas todas estas dificuldades não impediram que Patu pudesse ser reconstruída e melhorada.

De acordo com Rivelino, mesmo com os poucos recursos a prefeitura de Patu, pode dar início ao longo processo de reconstrução proposto pela prefeita Evilásia. “Trabalhamos muito para por as finanças em ordem e com os poucos recursos disponíveis, a administração Ação e Reconstrução, conseguiu ao longo destes três anos, reformar, ampliar, construir, e principalmente resgatar a auto estima dos servidores e fornecedores que tanto sofreram no passado”, disse o secretário.

De acordo com a prefeita Evilásia, Patu melhorou na saúde, na educação, no esporte, no lazer, na cultura, no social, no respeito ao servidor e ao cidadão e na qualidade dos serviços oferecidos pelo município, mas isso se deve a boa gestão financeira. “Melhoramos todos os setores administrativos de Patu, e para isso contamos com a competência e organização do secretário Rivelino, que trabalhou e ainda trabalha para manter as nossas finanças em dia”, disse a prefeita.

 Pelo seu trabalho o reconhecimento de um título de cidadão patuense

Vale lembrar que a administração Ação e Reconstrução, tão logo assumiu os recursos públicos de Patu, tratou de por em dia todos os salários atrasados, oriundos da gestão passada, o que também foi feito com os fornecedores. “Logo no início da administração da prefeita Evilásia, o município pagou duas folhas em um mesmo mês, para compensar os salários em atraso da administração passada, tudo isso sem falar na antecipação do 13º. Quando assumi o compromisso de por em ordem os setor financeiro da administração municipal de Patu, me propus a trabalhar de forma coerente e transparente, visando resgatar a credibilidade financeira de uma cidade que pagou um alto preço pela falta de compromisso com os recursos públicos. Os frutos estão aí, o servidor público recebe em dia e os fornecedores estão a disposição da municipalidade”, disse o secretário Rivelino.

Fonte: Secompatu- www.patu.rn.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário