quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Hoje Será Realizado o Tradicional Forró da Gameleira com Aleijadinho de Pombal


Hoje (01/11) será realizado o Tradicional forró da Quadra João Cândido na Comunidade Rural Gameleira com Aleijadinho de Pombal e Novinho dos Teclados. Organização Rita Cândida e José Cândido. Na compra da senha da festa, você estará concorrendo também a uma Moto Traxx. Valor da senha 10,00 reais.

Morreu aos 90 Anos, no dia do seu Aniversário (31/10) , o Ex-deputado Federal de Patu Chico Rocha



Foto: Aluisio Dutra

Faleceu hoje (31/10) em Manaus, no dia que completou 90 anos, o ex-deputado federal natural de Patu Francisco de Oliveira Rocha mas, conhecido com o Chico Rocha. Chico Rocha nasceu no dia 31/10/1923 sendo natural de Patu, RN. Segundo informações recebidas pelo blog a sepultamento acontecerá em Patu neste sexta feira (01/11/2013).
Francisco de Oliveira Rocha exerceu as seguintes profissões Industrial, Contabilista e Comerciante. Filho de Joaquim de Oliveira Rocha e Helena Fernandes Rocha. Foi eleito deputado federal e assumiu no período de 1975-1979, pelo MDB, sua posse aconteceu em 01/02/1975.
Foto: Câmara dos Deputados

Na Câmara dos Deputados em Brasília exerceu as seguintes funções Parlamentares:
Comissão Permanente de Transporte em 1975.
Algumas Condecorações recebidas:
Medalha do Pacificador - Ministério do Exército, 1966; Medalha de Prata da Polícia Militar do Distrito Federal, 1966; Título de Cidadão Itaguaiense, 1968.
Estudos e Cursos Diversos:
Bacharel em Ciências Contábeis e Atuariais - Escola Técnica de Comércio União Caixeiral, Mossoró, RN, 1945; Direito, Centro de Ensino Universitário de Brasília - CEUB, 1975.
Missões Oficiais:
Membro, Delegação de Parlamentares Brasileiros em visita ao Japão, 1977; Membro da Comissão representante da Câmara dos Deputados na posse do Excelentíssimo Sr. Governador do Rio Grande do Norte, em Natal, RN, 1975.  
Fonte: Câmara dos Deputados. 
Foto: Aluísio Dutra
Chico Rocha em sua rede na Fazenda Lajes Patu-RN


Em 1978 Chico Rocha foi candidato a Senador pelo MDB e na ocasião o mesmo esperava o apoio de Aluísio Alves, fato que não aconteceu pois Aluísio Alves, na época, apoiou para Senador o candidato da ditadura, Jessé Pinto Freire, vitorioso naquela disputa eleitoral pela ARENA – Aliança Renovadora Nacional.

Outubro Rosa: Apresentação de Trabalho sobre Mastologia do Médico Patuense Dr. Carlos Alberto


Mastologia / Câncer de Mama
O câncer de mama tem incidência crescente sendo a principal causa de morte por neoplasia nas mulheres brasileiras. Segundo estimativas do Ministério da Saúde do Brasil, são estimados cerca de 49.000 casos novos em 2009, sendo 55% das pacientes tratadas em estádios avançados, com mortalidade superior a 35%. No Brasil, cerca de 40% dos casos de câncer de mama são diagnosticados e tratados nos Hospitais Públicos Oncológicos das grandes cidades. A principal causa da grande proporção de casos avançados é o longo tempo de espera para o diagnóstico dos nódulos palpáveis e início do tratamento que é superior a 120 dias. Neste período há progressão de tumores em estádios iniciais para avançados e conseqüente aumento de mortalidade. A cidade de São Paulo com mais de 20 milhões de habitantes trata anualmente mais de 6.000 casos novos de câncer de mama, de total de 50.000 em todo Brasil. Tais evidências mostram claramente que antes de se implementar um programa de rastreamento mamográfico deve-se agilizar a elucidação diagnóstica dos nódulos palpáveis com tratamento imediato para o câncer, impedindo a progressão para estádios avançados. Tal estratégia reduziria de imediato a mortalidade com custo mínimo. Iniciamos em com o apoio da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo no Hospital Perola Byington (São Paulo) um atendimento diferenciado no Centro de Alta Resolutividade (CARE) junto ao Centro de Diagnóstico com 5 mamógrafos e sala para realização de biópsias ambulatoriais (punção ou core) acoplada ao serviço de patologia para diagnóstico citológico imediato. O pronto atendimento gratuito em consulta única foi implementado em agosto de 2005 e até julho de 2009 já atendeu 43.542 mulheres com queixas mamárias (nódulos, dor ou alteração mamográfica), encaminhadas dos postos de saúde da Capital, Interior ou outros Estados do Brasil. As consultas são supervisionadas por Mastologistas treinados em atendimento resolutivo, em conjunto com médicos ginecologistas. O diagnóstico de certeza em consulta única foi de possível em 92,7% dos casos. Cerca de 8,2% dos casos encaminhados eram carcinoma e as pacientes iniciaram o tratamento oncológico (cirúrgico ou quimioterápico) em no máximo 26 dias. Pudemos observar após o atendimento resolutivo que das 43.542 mulheres atendidas, 3.396 tinha câncer. Houve uma redução imediata do número de casos avançados (estádios III e IV) de 44,8 para 25,7% e um significativo aumento de pacientes com câncer nos estádios I e II de 55,2% para 74,3% dos casos. O tempo de espera para diagnóstico reduziu de 130 para apenas 1 dia e o de início de tratamento de 55 para 26 dias. Estima-se ter havido uma redução de 19,2% na mortalidade pela neoplasia. Concluindo, o modelo de atendimento deve ser reproduzido em todas grandes cidades do Brasil, pois garante o acesso e resolutividade à população carente do serviço público, humaniza , aprimora a qualidade do serviço prestado à comunidade e reduz de imediato o número de casos avançados e a mortalidade, sem necessidade de investimentos suplementares.

A falta de capacitação dos médicos que atuam no atendimento primário da saúde da mulher faz com que haja um encaminhamento da maioria das pacientes com sintomas mamários para os Hospitais Oncológicos de Alta Complexidade. A cidade de São Paulo, a maior da América Latina, recebe cerca de 6.000 casos novos por ano, muitos provenientes de inúmeras cidades do Brasil. Consequentemente os Hospitais especializados trabalham com sobrecarga para triagem e diagnóstico de câncer, retardando o início do tratamento em até 6 meses, acarretando progressão da doença e consequentemente piora do prognóstico. Apesar dos investimentos em novos Hospitais e medicamentos a mortalidade mantém-se estável em São Paulo e crescente em todo Brasil. Cerca de 55% dos casos que iniciam o tratamento nos Hospitais Públicos do Brasil encontram-se no Estádio 3. Uma solução de curto prazo seria otimizar a infra-estrutura dos Hospitais para o atendimento imediato e capacitar os Mastologistas para o atendimento resolutivo integrado com os radiologistas e patologistas para eliminar o tempo de espera da primeira consulta (triagem) e exames diagnósticos (mamografia, ultra-som, biópsia e citologia oncótica) em uma única consulta e iniciar o tratamento precocemente, impedindo a progressão da doença e assim reduzir a mortalidade.

Foram atendidas gratuitamente no Centro de Referencia da Saúde da Mulher (Hospital Pérola Byington ) de São Paulo, no período de agosto de 2005 a julho de 2009, 47.389 pacientes encaminhadas pelas Unidades Básicas de Saúde do Sistema Público de Saúde da Cidade de São Paulo, sendo 23% de outros Estados do Brasil.


CARLOS ALBERTO DE ALMEIDA/MASTOLOGISTA
OBS:Local do estágio da especialização

Feira Live de Patu Será Antecipada para Amnhã Sexta Feira (01/11)


Em virtude do feriado de 2 de Novembro, dia de finados, a Feira Livre de Patu será antecipada para esta sexta feira (01/11).
Fonte: Secom.

Solidariedade: Dr. Getúlio Barbosa Está Abastecendo Cisternas de Moradores de Duas Comunidades Rurais de Patu


O médico Patuense, Dr. Getúlio Barbosa, residente na cidade de Feira de Santana (Bahia), novamente está fazendo uma ação de solidariedade neste momento de seca que assola o nosso município. Ele está fazendo o abastecimento das cisternas dos moradores de duas comnidades rurais que sofrem  com a estiagem, as comunidades são Oiticica e Castanheiro. O abastecimento teve início hoje (31/10) onde mais de vinte famílais estão recebendo água de boa qualidade que deverá ser consumida, pelo menos até o final do ano. Dr. Getúlio Barbosa é um renomado médico nefrologista que reside na cidade de Feira de Santana, onde o mesmo já exerceu a função de vereador em vários mandatos bem como já assumiu o cargo de Secretário de Saúde daquela importante cidade baiana. Dr. Getúlio sempre está presente em Patu várias vezes durante o ano prestigiando nossas festas e confraternizações. Quando ele está em Patu o seu ponto de apoio e referência é a residência do amigo Josa Kung Fú que são seus familiares.
 Abastecimento de Cisternas da Comunidade Oiticica - Patu-RN

    

Reunião da FETRAF do Médio Oeste Será nesta Sexta-Feira (01/11) em Apodi .



Os Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadores na Agricultura Familiar  e Fóruns da Agricultura Familiar dos municípios de Janduis, Lucrécia, Almino Afonso, São Francisco do Oeste, Rafael Godeiro, Governador Dix-sept Rosado, Messias Targino, Apodi, Viçosa, Patu, Felipe Guerra, Upanema, Itau, Severiano Melo e Campo Grande, todos ligados a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar do Rio Grande Norte (FETRAF-RN) da região do Médio Oeste estarão se reunindo nesta sexta-feira  dia 1º de Novembro , na cidade de Apodi .
Segundo presidente do Sintraf de Messias Targino e Coordenador Estadual de Formação Sindical e Profissional da FETRAF/RN, Pôla Pinto, durante a reunião será discutido  diversos  assuntos  visando o fortalecimento da FETRAF-RN,  na região e os encaminhamentos da última  reunião da direção da FETRAFRN realizada dia 22 em São Paulo do Pontegi . A reunião será na sede do sindicato a partir das 8:30h.

Quem Critica o Bolsa Família é Porque Nunca Passou Fome, Disse LULA



A cerimônia de dez anos do programa Bolsa Família realizada nesta quarta-feira (30) serviu de palco para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendesse os êxitos da transferência de renda para os mais pobres e atacasse duramente seus críticos.
O petista afirmou que se estivesse iniciando seu governo agora, com a experiência que conquistou, começaria da mesma forma, combatendo a fome e a desigualdade. Lula lembrou de sua origem pobre e disse que os que criticam o Bolsa Família nunca passaram fome. Disse também que são preconceituosos ao afirmar que o pobre está no Bolsa Família porque não quer trabalhar.
“O que essa crítica denota é uma visão extremamente preconceituosa no nosso país. Significa dizer que a pessoa é pobre por indolência, e não porque nunca teve uma chance real em nossa sociedade. É tentar transmitir para o pobre a responsabilidade pelo abismo social criado pelos que sempre estiveram no poder em nosso país”, afirmou.
O ex-presidente disse também que muita gente está incomodada porque os pobres estão evoluindo. “O patrão sai com o carro, quando chega na rua está o jardineiro atravancando o trânsito para ele. O cidadão vai para o aeroporto e a empregada está pegando o avião no lugar dele. Eu sei que é duro. Isso é quem nem perder o namorado”, disse, arrancando risos da plateia.
Em resposta a uma crítica recorrente de que o Bolsa Família não ofereceria porta de saída para seus beneficiários deixarem o programa e superarem a miséria por meio do trabalho, Lula disse que a transferência de renda é o início desse processo.

Fonte: Folha de SP 

Encontro da ASA Microrregional Acontece Hoje (31/10) em Janduís



Será realizada hoje (31/10) na cidade de Janduís reunião  ordinária da Microrregional Médio Oeste da ASA Potiguar, que acontecerá na sede do Sindicato dos Trabalhadores, a partir das 8:30 h.
No encontro  acontecerá  uma visita de campo para conhecer  algumas experiências de produção do município como também serão avaliados  a  Caravana Agroecológica de preparação para o 3º ENA e o Encontro Estadual de Agricultores Experimentadores que aconteceu em Apodi
Outros asuntos serão discutidos na reunião como o Programa RN Sustentável, Cadastramento no MDS e Apresentação dos TP's pelas UGs (P1MC FBB Terra Viva, P1MC SEAPAC, P1+2 Sertão, P1+2 Terra Viva).
Participarão desse encontro representantes dos STRs e Sintrafs dos municípios de Campo Grande, Triunfo Potiguar, Messias Targino, Janduís, Patu, Almino Afonso, Olho D’água do Borges, Rafael Godeiro, Felipe Guerra,Upanema, Severiano Melo,Caraúbas e Apodi.
O município de Patu será representado pelo Centro Juazeiro de Assitência técnica através de Bruno Fernandes e pelo Fórum das Organizações Sociais através de Agildo Martins. 

Neste Domingo 03 de Novembro no Santuário do Lima em Patu XVIII Romaria da Juventude


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Fátima participa de homenagens ao ex-presidente Lula

A deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN) participou nesta terça-feira (29) de duas homenagens no Congresso Nacional ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 
A primeira cerimônia aconteceu no Senado Federal, na sessão em comemoração aos 25 anos da promulgação da Constituição e em homenagem aos parlamentares constituintes. Durante a sessão, o ex-presidente foi homenageado pela Medalha Ulysses Guimarãe
O outro evento realizado no plenário da Câmara dos Deputados, Fátima acompanhou a entrega da Medalha Suprema Distinção ao ex-presidente Lula, por sua participação nos trabalhos de elaboração da Constituição de 1988.
“As solenidades foram bonitas e marcadas pelo clima de emoção e entusiasmo. A trajetória de Lula seja como dirigente sindical, partidário, parlamentar constituinte e maior líder popular do Brasil se entrelaçam com a luta pelo processo de redemocratização do país. E como presidente, Lula se revelou um dos maiores que este país já teve, dando uma contribuição especial para o projeto nacional em curso, com geração de emprego, renda e inclusão social”, disse Fátima Bezerra.
“Destaco também que um dos seus maiores legado enquanto presidente foi às conquistas na área de educação. Portanto, as homenagens de hoje foram justas e merecidas”, completou.
O ex-presidente também recebeu homenagem da liderança do PT pelos seus 68 anos, comemorado no último domingo.

Convite Certificação do PRONATEC


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Dr. Getúlio Barbosa Novamente Faz Doação da Fraldas para Jovem Especial da Comunidade Oiticica em Patu


Mais uma vez a senhora Maria dos Anjos residente na comunidade Rural Oiticica, município de Patu, recebeu mais uma remessa de fraldas descartáveis de adultos para a sua filha que é portadora de necessidade especial, necessitando mensalmente da ajuda para a aquisição de fraldas para a mesma.  A doação está sendo feita pelo médico patuense Dr. Getúlio Barbosa que reside na cidade de Feira de Santana Bahia.  Dona Maria dos Anjos agradece carinhosamente ao Dr. Getúlio que segundo ela foi o "Anjo" que apareceu na sua vida e na vida da sua filha para ajudar a mesma que tanto necessita.
Dr. Getúlio Barbosa




Andar Pelas Ruas de Patu Está se Tornando um Grande Perigo em Virtude da Imprudência, Principalmente, de Certos Motoqueiros

Imagem ilustrativa. Google iamgem

É muito comum você ver em Patu cenas de trânsito como: Motoqueiros fazerem ultrapassagens proibidas, andar em disparada pelas avenidas por cima de lombadas como se estivessem num enduro, provocar freadas bruscas, passar em alta velocidade entre as lombadas e o meu fio dos canteiros, cantar pneu, entre outras. Essas cenas estão causando um enorme desconforto e perigo para as pessoas e também para os motociclistas e condutores de veículos que respeitam as leis do trânsito. É bem verdade que também existem condutores de veículos causando imprudências na cidade não vamos botar a culpa somente nos motoqueiros, mas, o número de cenas de motoqueiros promovendo um festival de imprudências não é brincadeira. Está na hora das autoridades do trânsito tomarem medidas corretivas para que a população não venha sofrer pelas consequências desse mal que vem aumentando em nossa cidade que por sua vez é deficiente na questão de sinalização de trânsito de suas ruas e avenidas.


DO BLOG SERTÃO CABOCLO: VERSOS " EXIGE-SE DIREITOS"



Alguns deveres do trânsito 
Por lei vão sendo cumpridos 
Os usuários das motos 
Já estão mais protegidos 
Mas falta alguns direitos 
Que não estão garantidos. 

 Faltam faixas de pedestres 
Em alguns pontos das pistas 
Disciplinando melhor 
As passagens imprevistas 
Isso é bom pra motoqueiros 
E para os motoristas. 

 Outro direito que falta 
Esse é muito pertinente 
Direito nosso e dever 
Da instância competente 
É com respeito às lombadas 
Desta cidade da gente. 

 As tartarugas somente 
Trouxeram adversidade 
Foram sendo destruídas 
Por protesto ou por maldade 
Enquanto as lombadas causam 
Risco ao trânsito da cidade. 

 É preciso com urgência 
 Que todas essas lombadas 
Das ruas e avenidas 
Sejam em breve pintadas 
Pra que de certa distância 
Já possam ser avistadas. 

 Outro direito do trânsito 
Para a população 
Que está sendo negado 
É a sinalização 
Principalmente em locais 
De mais movimentação. 

Dois semáforos pelo menos 
Aqui deveria ter 
Placas com demais sinais 
Para o povo obedecer 
Porque a cada direito 
Está ligado um dever. 

Exige-se esses direitos 
De grande necessidade 
Autoridades aumentem 
A responsabilidade 
O DETRAN, a Prefeitura 
Cuidem da infraestrutura 
Do trânsito desta cidade. 

 Autor: Zé Bezerra

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dia do Servidor Público!!!



Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Patu Promoveu Confraternização pelo Dia dos Servidores Públicos

O SINDSERPUMP - Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Patu promoveu confraternização na noite de ontem (27/10) na sede da AABB pela passagem do dia dos Servidores Públicos. A confraternização contou a participação de um grande número de servidores, familiares e convidados. A Diretoria do SINDSERPUMP nas pessoas de Lucélia Ribeiro, Marilene França e o Prof. José Bezerra de Assis levou mensagem de reflexão sobre este importante dia bem como mensagens de incentivos para continuar lutando pelo interesse dos servidores.
Apresidente do SINDSERPUMP, professora e sindicalista Lucélia Ribeiro aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio do médico patuense, Dr. Getúlio Barbosa pelo apoio dado para a realização da festa de confraternização dos servidores.
  Lucélia Ribeiro agradeceu a Dr. Getúlio Barbosa pelo apoio dado para a realização da festa de confraternização dos servidores.
  

Foto Antiga de Patu


Foto da visita às obras do Hospital Dr. Aderson Dutra feita por Aluisio Alves, Walfredo Gurgel, Garibaldi Filho (ainda jovem) e Dr. Aderson Dutra. O garoto da foto indicado pela seta é o Dr. Getúlio Barbosa, médico patuense, residente na cidade de Feira de Santana. 
Foto: Livro Aderson Dutra de Almeida - Médico e Estadista - do Historiador Petronilo Hemetério Filho.

Fórum das Associações de Patu Realizou Reunião Mensal


O Fórum das Organizações Sociais de Patu realizou reunião ordinária na última sexta ferira (25/10) na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. A reunião foi presidida pelo coordenador do Fórum Prof. Aluísio Dutra de Oliveira e contou com a participação de presidentes e representantes de associações das seguintes comunidades rurais: Rajada, Várzea da Jurema, Carnaúba, Fortuna, Logradouro, Serrra do Lima, Oiticica, bem como as seguintes instutuições PDA Novo Sertão, Centro Juazeiro e Secretaria Municipal de Agricultura de Patu. Os principais assuntos debatidos foram: Situação de estiagem em Patu, Retorno da operação Carro Pipa, Habitação Rural, Comissão de Convivência com a Seca e informes gerais das comunidades.    

 



Conheça Mais um Personagem que dar Nome a Rua em Patu


Juvêncio Hemetério

Juvêncio Hemetério de Moura é filho do professor Aderaldo José de Moura e Dona Francelina Joaquina de Moura. Juvêncio Hemetério casou-se no ano de 1873 com a senhora Guilhermina Joaquina de Moura. Ele é o avô do historiador patuense Petronilo Hemetério Filho. Juvêncio Hemetério exerceu a função de fiscal da intendência de Patu.

Rua Juvêncio Hemetério
 Centro - Patu-RN

Tem Continuidade Festa de Santa Teresinha


28/10 - Segunda – feira 
19h – Novena 
Celebrante: Seminarista Adriano 
Noiteiros: Coroinhas, Creche Carmelita Rocha 

 29/10 – Terça – feira 
19h – Novena 
Celebrante: Seminarista Marlesson 
Noiteiros: Terço dos Homens, Escola Raimundo Nonato e Creche Cantinho da Criança 

 30/10 – Quarta - feira 
19h – Novena 
Celebrante: Pe. George Lourenço 
Noiteiros: Juventude(Grupo JOCAP e JOVIASC e MEJ) 

 31/10 – Quinta - feira 
 19h – Novena 
Celebrante: Adalgiza Moura 
Noiteiros: Ministros da Eucaristia 

 01/11 – Sexta- feira 
18h – Procissão 
19h – Missa de Encerramento 
Celebrante: Pe. Américo Leite 

 PROGAMAÇÃO CULTURAL: 

De 23/10 a 01/11: Barraca da Festa 
26/10 - Sábado: Leilão e Musica Ao vivo 
01/11 - Sexta- Feira: Jantar e Musica Ao vivo 

Dívida do Governo da ROSA com Locação dos Carros da PM Poderá Ultrapassar a Cifra de R$ 1 milhão



dinheiro_sacosRecebo a informação que a dívida do Governo do Rio Grande do Norte com os contratos de locação de veículos para as Polícias Militar e Civil, é de aproximadamente R$ 1 milhão. O valor, porém, pode ser ainda maior, visto que, a conta não inclui os 200 automóveis modelo Gol locados à Polícia Militar e usados como viaturas no interior do Estado. De janeiro a julho deste ano, nenhum repasse foi feito ao consórcio locador.
Fonte: Blog do Robson Pires.

Alô prefeituras: Ministério do Turismo tem recursos para promover festas de Natal e Reveillon



O Ministério do Turismo está destinando recursos da ordem de R$ 3 milhões para prefeituras, secretarias de turismo estaduais e municipais participarem de um chamamento público de projetos de eventos de fortalecimento do turismo. De acordo com o edital, os interessados poderão incluir as propostas no Sistema de Convênios (Siconv) até o dia 7 de novembro.
Ficou estabelecido o limite de R$ 600 mil para cada macrorregião do país (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste). O objetivo é selecionar projetos que contribuam para a promoção do destino, o desenvolvimento dos segmentos turístico e o aumento da movimentação de fluxos regionais, nacionais ou internacionais de turistas no Brasil.
Fonte: Blog do Robson Pires.

Show de Roberto Carlos marcado para Natal. Entrada de até R$ 780 reais



robertocarlos-425x208







O Rei Roberto Carlos tem show agendado para Natal. Será no dia 30 de Novembro no Teatro Riachuelo
Vamos lá para os preços:
Balcão nobre: R$ 600 inteira – R$ 300 reais meia
Frisas: R$ 660 inteira – R$ 330 meia
Camarotes: R$ 630 inteira – R$ 330 meia.
Plateia: A/B: R$ 780 inteira – RS 390 meia.
Fonte: Blog do Robson Pires.
Quem se habilita? Rs rs!

Fátima Vai Estreitar os Laços com o PMDB


fatimabezerraEm entrevista na Rádio Cidade, 94 FM de Natal na manhã desta segunda-feira(28), a deputada federal Fátima Bezerra declarou que vai “estreitar os laços” com o PMDB e outros partidos.
O PT tem o dever e a responsabilidade de fortalecer a base de Dilma no Estado. Vamos começar essas conversas com o PMDB. O presidente do PT, Eraldo Paiva pediu para eu conversar com Henrique, presidente do PMDB aqui, para marcar uma conversa nos próximos dias. Não vamos conversar não só com o PMDB, mas com o PSD de Robinson, o PDT de Carlos Eduardo, com o PCdoB, histórico e aliado nosso, com o PROS de Ricardo Motta e com o PR de João Maia, se romper com o Governo, disse a petista.
Fonte: Blog do Robson Pires.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Mensagem de Dr. Carlos Alberto sobre A Campanha Outubro Rosa

Dr. Carlos Alberto e  JOSÉ Aristodemo PINOTTI 
Caros Aluísio Dutra,Vieira e Bruno Campelo, gostaria neste outubro rosa de  direcionar, principalmente, às mulheres vítimas involuntárias e inconscientes do câncer de mama, pois nesses nossos fins de mundo, o serviço de diagnóstico precoce, o que realmente cura a paciente não existe, por incompetência concorrente dos Municípios, Estados e União; pois a maioria dos cânceres mamários são diagnosticados em estados avançados. Nos municípios onde a vida acontece mais de perto com a população, deveria os prefeitos, principalmente os  que tem como dirigentes médicos, adotar um programa de rastreamento não somente do câncer de mama, mais também de outros cânceres: próstata, pulmão, útero, etc.  Aqui vai algumas dicas às  mulheres, mas não esqueçamos que 1 % dos homens pode ter também câncer de mama.

1- toda mulher aos 40 anos deve fazer a mamografia anualmente; aos 35 anos se tiver algum caso em parente próximo.
2-mulheres que tiveram vários abortamentos.
3-mulheres que menstruaram precocemente.
4- mulheres que tiveram a última menstruação tardia
5-mulheres que nunca tiveram filhos, inclusive as virgens.
6-mulheres obesas.
7-história de câncer de mama na família.
8- fazer auto exame 10 dias pós menstruação.
9-gravidez tardia, após os 30 anos
Estas são algumas  informações  que deveria fazer parte de uma política de saúde , visando proteger a mulher, pois o câncer de mama acomete a mulher na sua fase reprodutiva (45-55 anos), infelizmente a nossa realidade é bem outra;enquanto os municípios gastam com festas e bandas....., as mulheres continuam perdendo a vida e deixando órfãos.

   Não podemos deixar de lembrar às mulheres da  Lei 11.664/2008 que entrou em vigor em 29 de abril de 2009, que dar o DIREITO a todas as mulheres a partir de  40 anos, submeter à mamografia, portanto  é um dever legal de toda mulher e obrigação concorrente do município, Estados e união. portanto vamos incentivar e demonstrar às mulheres que é um direito que evita mortes prematuras.

   No estado de São Paulo onde estudei, o CRSM tem uma atenção voltada ao diagnóstico precoce,mas mesmo assim, ainda é pouco o índice, no entanto existe o serviço disponível à população; na nossa região falta quase tudo, mas não faltam as promessas e ilusões. 

Obs: vejam este trabalho-resumo realizado no CRSM- hospital Pérola Byington.

CARLOS ALBERTO DE ALMEIDA/MASTOLOGISTA  

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Jozenir Calixta e Aluísio Dutra Foram Eleitos Diretor e Vice do Campus Avançado de Patu


A comunidade universitária do Campus Avançado de Patu da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte elegeu no dia de ontem (24/10/2013) os seus novos dirigentes para os próximos quatro anos. A eleição transcorreu em clima de tranquilidade durante todo o dia, encerrando por por volta das 22:00 horas. Após a apuração dos votos o professor Dr. Jozenir Calixta de Medeiros foi eleito diretor com 75,02% do total geral de vontantes, professores, alunos e funcionários. O professor Aluísio Dutra de Oliveira obteve 75,14% do total geral de votantes.
Por segmento o resultado foi o seguinte:
Jozenir Calixta - Diretor - Obteve
Professores 71,43%  dos votantes
Brancos e Nulos 28, 57%
Servidores 94,59% do total de votantes
Brancos 5,41%
Alunos 69,81% do total de votantes.
Brancos e Nulos 30,19%

Aluísio Dutra - Vice Diretor Obteve
Professores 71,43%  dos votantes
Brancos e Nulos 28,57%
Servidores 94,59% do total de votantes.
Alunos 70,05%
Brancos e Nulos 29,95%

Para os professores Jozenir Calixta e Aluísio Dutra o resultado foi positivo pois de cada 10 votantes do Campus Avançado de Patu, incluindo os Núcleos de Alexandria e São Miguel, mais de 7 votaram na chapa, ou seja, 75% aprovaram a proposta de trabalho de Jozenir e Alusio para a administração do Campus de Patu para os próximos quartro anos. Agradecemos carinhosamente a todos que compareceram participando deste importante momento da democracia do Campus de Patu, nossos sinceros agradecimentos, disse Jozenir e Aluísio. 



Artigo: Virgulino Ferreira da Silva - O Cangaceiro Lampião

Imagem Google

Autores
José Romero Araújo Cardoso
Benedito Vasconcelos Mendes
Suzana Goretti Lima Leite

Virgulino Ferreira da Silva, vulgo Lampião, nasceu a sete de julho de 1897 no município de Villa Bella, hoje Serra Talhada, Estado de Pernambuco, e foi registrado no cartório da sua cidade natal a doze de agosto de 1900, conforme registro de nascimento reproduzido por Carvalho (1974). Era filho de José Ferreira dos Santos e Maria Sulema da Purificação, sendo defendido por diversos autores que pertencia a família Feitosa, dos Inhamuns, no Estado do Ceará. Com relação a esta possibilidade assim se expressa Macedo (1975, p. 25); 


“se é verdade que o capitão Virgulino vinha do tronco Feitosa dos Inhamuns, a violência do sangue, de fato, era-lhe muito antiga. Família velha como o sertão dos sesmeiros e povoadores, dividia, no sul do Ceará, nos Inhamuns, o poderio com os Montes, outro clã de sangue quente e muito derramado naquelas paragens.”

A primeira referência a esta vinculação genealógica de Virgulino Ferreira da Silva com a valente família cearense encontramos em seu biógrafo pioneiro, o jornalista paraibano Érico Gomes de Almeida, quando escreveu a obra, intitulada “Lampeão, sua história”, escrita em1926 quando a fama do bandido atingia proporções exponenciais.
Quanto ao físico e indumentária, Leonardo Motta, célebre folclorista cearense, assim o descreveu;

Amulatado, estatura meã; magro e semi-corcunda; barba e nuca ordinariamente raspados e sempre que é possível perfumados; na perna esquerda encravada uma bala, com que o alvejou o sargento “Quelé”, da polícia parahybana; o olho direito branco e cego, escondido pelos óculos pardacentos, de aros dourados; mãos compridas que se assemelham a garras; os dedos cheios de anéis de brilhantes falsos e verdadeiros; ao pescoço, vasto e vistoso de cor berrante, preso ao lado por valioso anel de doutor em direito; sobre o peito, medalhas do padre Cícero, escapulários e saquinhos de “rezas fortes”, chapéu de cangaceiro, tipicamente adornado de correias e metal branco; ensimesmado toda vez que defronta uma turma de curiosos; folgazão quando entre poucos estranhos ou no meio de comparsas; não se esquecendo de um guarda costa à direita sempre que desconhecidos o rodeiam; paletó de camisa de riscado, claro, calças de brim escuro; alpercatas reluzentes de ilhozes amarelos; a tira-colo, 2 pesados embornaes de balas e bugingangas, protegidos por uma coberta e chales finos; tórax guarnecido por 3 cartucheiras; ágil como um felino mas aparentando constante estropiamento e exaustão; às mãos um fuzil; à cintura duas pistolas “parabellum” e um punhal de 78 centímetros de lâmina. (In: Araújo, 1982, p. 76)

A vida antes e depois de entrar para o cangaço:


Virgulino Ferreira da Silva levava vida normal como qualquer outro sertanejo antes de adentrar o cangaço, campeando o gado na caatinga, correndo em vaqueijadas, trabalhando em artesanato de couro e auxiliando o pai como almocreve. Esta última atividade certamente favoreceu-lhe bastante no conhecimento profundo das veredas do sertão. Gueiros (1953, p. 11) faz referências às façanhas de Lampião quando vaqueiro na adolescência, frisando que era respeitado e admirado nas ribeiras do riacho de São Domingos, que cortava a propriedade dos seus pais em Villa Bella.
Um pretenso roubo de chocalhos foi o responsável pelas primeiras escaramuças contra uma família antes amiga, ligada aos Ferreiras por fortes laços de compadrio. Os Saturninos da Pedreira, em alusão a propriedade Pedreira que situava-se vizinha às terras da família de Lampião, são apontados como pivô das refregas nos longínquos anos finais da década de 1910 do século passado, conforme Macedo (1975, p. 29-35).
Lampião estreou na senda do crime em seu estado natal, mas foi com a fixação de sua família em Alagoas, devido a acordo informal mantido com os rivais, que provocou a transferência de sua família para a não menos violenta localidade de Matinha de Água Branca (AL), onde ficou protegido pelo “coronel” Ulisses Luna. Foi em Alagoas que houve de fato a sua inserção no cangaço, bem como a de alguns irmãos seus à exceção de João Ferreira e Ezequiel, que depois se integraria também ao bando.
Ataques cruéis entre os anos iniciais da década de 1920 às localidades de Pariconhas, Espírito Santo e Poço Branco, todas no estado Alagoano, são apontados como as façanhas que renderam notoriedade regional aos irmãos Ferreira (Maciel, 1985, p. 15-29), embora a façanha que de fato lhe deu mais destaque tenha sido o saque à residência da Baronesa de Água Branca, residente em Água Branca (AL), Dona Joanna Vieira de Siqueira Torres (idem, p. 38-43).

 Lampião serviu ainda como cangaceiro ao seu conterrâneo Sebastião Pereira e Silva, conhecido por Sinhô Pereira, que movia luta sem trégua contra os Carvalhos da mesma localidade de Villa Bella. Quando o comandante Sinhô Pereira deixou o sertão e fugiu para o estado de Goiás, foi a Lampião que o velho guerreiro do Pajeú entregou a chefia do bando (Macedo, 1975, p. 36-42).
Durante os vinte e dois anos que se entregou à vida bandoleira, Lampião não costumava penetrar no Piauí e na zona norte do estado do Ceará. No norte cearense nunca contou com o apoio do coronelato como na região sul, cuja estruturação de valhacoutos com certeza tenha garantido certo sucesso em suas empreitadas.
O número de companheiros em armas oscilava bastante. No início da carreira era reduzido, mas aumentou consideravelmente quando da sua ascensão a chefe do bando de Sinhô Pereira no ano de 1922, registrando-se provavelmente maior número de componentes quando do desfile de cento e cinco cangaceiros por ele chefiado a dois de setembro de 1926, na cidade de Cabrobó, estado de Pernambuco (Oliveira, 1985, p. 33). Em quatro de março do mesmo ano havia comparecido à cidade do Juazeiro do Norte (estado do Ceará), a convite do Dr. Floro Bartholomeu da Costa, amigo do Padre Cícero Romão Batista e líder político do sul do Ceará, para que fizesse parte dos Batalhões Patrióticos organizados pelo Presidente Arthur Bernardes que combatia o foco insurgente dos revoltosos comandados pelos oficiais do Exército Brasileiro, Miguel Costa e Luís Carlos Prestes,a conhecida Coluna Prestes. Nesta ocasião recebeu a falsa patente de “Capitão” das mãos do Padre Cícero. No ano de 1928, que marca a fuga dramática para os sertões baianos,em razão da repressão desmedida feita pelas polícias do Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba desencadeada por causa do frustrado ataque à cidade de Mossoró (estado do Rio Grande do Norte), ele se encontrava na companhia de apenas quatro bandoleiros.

Lampião buscava nos fenômenos e coisas da natureza a inspiração para os apelidos dos seus cangaceiros. Por isso registraram-se diversos bandidos com os nomes de jararaca, corisco, jandaia, jitirana, vereda, limoeiro, etc. Quando um cangaceiro morria seu apelido era herdado por outro cangaceiro que entrava no bando. Utilizava ainda a identificação dos seus subordinados a partir do local de origem, a exemplo dos celebérrimos José Baiano e Sabino das Abóboras. Abóboras era uma fazenda entre as cidades de Serra Talhada e Triunfo no estado de Pernambuco.
Mello (1985.p. 90-91), enfatiza que;


Durante as duas décadas que compõem o seu período de correrias bem para além do que a ficção possa engendrar, chegou a exercer concreto domínio sobre áreas dos sertões de sete Estados do Nordeste, tendo o seu grupo em ocasiões de maior sucesso ido além dos cento e vinte componentes. Foram seus asseclas, num primeiro plano Antônio Ferreira da Silva, o Esperança; Livino Ferreira da Silva, que também se assinava Livino Ferreira dos Santos ou, ainda, Livino Ferreira de Souza, o vassoura, Ezequiel Ferreira da Silva ou Ezequiel Profeta dos Santos, o Ponto Fino; o seu cunhado Virgínio, o Moderno; e o seu diletíssimo amigo Luís Pedro Cordeiro, o Luís Pedro, todos mortos no cangaço. Em plano levemente inferior, vale citar os cabras Sabino Gomes de Góes, o Sabino; Antônio Rosa, o Antônio do Gelo; Cristino Gomes da Silva Cleto, o Corisco; José Leite de Santana, o jararaca; José Baiano, bandido que conduzia um ferro de gado com as suas iniciais, destinado a marcar mulheres nas faces, coxas ou nádegas, desde que usassem cabelos ou vestidos curtos; Ângelo Roque da Costa, o Labareda; Sátiro de tal, o Gato; Antônio Ribeiro, o José Sereno; Mariano Laurindo Granja, o Mariano, e mais os cabras Português e Moita Braba, todos tendo ascendido à chefia de seu subgrupo.

Principais cidades atacadas:


Lampião protagonizou façanhas espetaculares, a exemplo da fuga desesperada em direção ao sul do estado do Ceará após o frustrado ataque de 13 de junho de 1927 à cidade de Mossoró, segunda maior núcleo urbano do estado do Rio Grande do Norte (Fernandes, 1999). Acossados por policiais de três estados (Rio Grande do Norte, Ceará e Paraíba), os cangaceiros conseguiram furar cercos intransponíveis.
No entanto, a mais ousada investida do grupo de Lampião não contou com a participação do chefe, quando a 27 de julho de 1924 seus irmãos comandando o bando, unidos ao de um cangaceiro paraibano de nome Francisco Pereira Dantas, conhecido por Chico Pereira do Jacu, da localidade de Nazarezinho, invadiram a cidade de Sousa (estado da Paraíba), conforme Nóbrega (1989, p. 71) e Mello (1985, p. 135). A ousadia dos bandidos resultou na perda do imprescindível valhacouto na região serrana que faz a divisa dos estados da Paraíba e Pernambuco. Houve empenho do mandonismo local e do governo paraibano na captura dos cangaceiros, embora revezes dignos de notas tenham acontecido às tropas destacadas para as missões, a exemplo do célebre combate de Serrote Preto no estado de Alagoas, quando a milícia da Paraíba foi quase que totalmente destroçada em tocaias fenomenais. O recrudescimento das perseguições a Lampião resultou na morte de Livino Ferreira, na localidade Tenório de Flores do Pajeú (estado de Pernambuco), embora a vindita do cangaceiro tenha sido marcada pela violência inaudita, atingindo populações indefesas de lugarejos perdidos nos confins da serra da Bernarda em Princesa (estado da Paraíba). O novo posicionamento da classe dominante desta região sertaneja do estado da Paraíba quanto ao tratamento aos bandidos personificou-se na instalação de um batalhão da Polícia Militar em Patos das Espinharas, no governo de João Suassuna (1924-1928), concentrando a atuação na fronteira com o estado de Pernambuco, epicentro do cangaceirismo por causa da proximidade com o vale do Pajeú, considerado o “celeiro dos bandidos”.

Principais coiteiros de Lampião e a repressão do governo:


Como forma de tentar se desvencilhar da mácula de ter homiziado cangaceiros, o chefe político de Princesa (PB), “Coronel” José Pereira Lima, que no início da década de Trinta do século passado moveu uma luta encarniçada contra o governo do presidente paraibano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, financiou uma resposta erudita aos comentários propalados por Lampião de que o político sertanejo havia-lhe usurpado certa quantia em dinheiro que o cangaceiro lhe havia confiado, transformando-o numa espécie de banqueiro informal sem juros. O referido “coronel” encomendou ao jornalista paraibano Érico Gomes de Almeida a confecção de uma obra que traçou o perfil do bandido de forma bastante negativa, intitulada “Lampeão, sua história”, constituindo-se na primeira biografia erudita de Virgulino Ferreira da Silva, que foi publicada em 1926. 
Perseguido tenazmente pelas volantes paraibanas, Lampião não voltou mais à Paraíba, onde quem de fato o protegia era Marcolino Pereira Diniz, imortalizado por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira no baião “Xanduzinha”, gravado em 1950, que enaltecia o “caboclo Marcolino”.
Seu apogeu começou a declinar após o mais impressionante feito de sua vida à margem da sociedade convencional, que foi a tentativa frustrada de saquear a cidade de Mossoró. Depois deste episódio seu eixo de atuação teve que ser radicalmente revertido. 
Seus coiteiros mais importantes foram Antônio da Piçarra, de Brejo Santo (estado do Ceará), Ângelo da Jia, de Tacaratu (estado de Penambuco), “Coronel” Marçal Florentino Diniz e Laurindo Diniz, ambos de Princesa Isabel (estado da Paraíba), Marcolino Pereira Diniz, dos Patos de Irerê e também da região limítrofe da Paraíba com Penambuco. A repressão aos agentes patrocinadores do cangaço, principalmente após a tentativa de saque a Mossoró, é destacada por Mello (1985, p. 116), quando relata que;


Às voltas com o grave problemas das deserções que se seguiram ao revés em Mossoró, Lampião chega ao Pajeú, deparando-se com os primeiros e nada desprezíveis efeitos de um plano de governo concertado ainda no início do ano. É que com o advento do governo Estácio Coimbra, o novo chefe de polícia de Pernambuco, Eurico de Souza Leão, havia estabelecido novas diretrizes à repressào ao banditismo. O ponto central de sua firme orientação repousava no combate sem trégua aos coiteiros. Um a um iam descendo presos para a capital alguns dos principais aliados do cangaço. De Custódia, descem dois políticos influentes; de Tacaratu, o fazendeiro Arsênio Gomes; de Serra Talhada, o comerciante Ascendino Alves de Oliveira e o chefe político, “coronel” José Olavo de Andrada; de Rio Branco, descem mais alguns coiteiros, até que finalmente é preso o “coronel” Ângelo Lima, conhecido como Ângelo da Jia, à época o maior deles. A ação corajosa de Estácio Coimbra contra homens que, juntos, representavam milhares de votos, tira as muletas aos bandido. Sem o coiteiro o cangaceiro não é nada.

Lampião passou a agir no estado baiano no ano de 1928, inicialmente sob a proteção do “Coronel” Petronilo de Alcântara Reis. Durante um ano o “rei do cangaço” esteve longe das refregas e escaramuças, mas a traição do coiteiro que o recebeu na Bahia fê-lo voltar à ativa, com força redobrada e com uma perversidade inexplicável. O governo baiano passou a oferecer a quantia de cinqüenta contos de réis para quem, civil ou militar, o trouxesse às autoridades competentes de qualquer forma, vivo ou morto.
Contudo, apesar de todos os esforços olvidados, o estado da Bahia não estava preparado para enfrentar as artimanhas da guerra de guerrilhas de Lampião. Precisava-se que homens acostumados às suas estratégias fossem convocados para a luta contra o banditismo rural. Vieram, principalmente de Pernambuco, guerreiros das caatingas que conheciam todos os segredos da arte da guerra de Lampião, com destaque ao clã dos Nazarenos, famosos perseguidores do bandido e aquele que foi o matador de Corisco, “o diabo louro”, José Osório de Farias, o célebre José Rufino.

Maria Bonita, a mulher de Lampião


Mas não só de estripulias nas caatingas baianas, alagoanas e sergipanas viveu Lampião e o seu bando recomposto nesta fase que ele inaugurou quando transpôs o rio São Francisco. Virgulino Ferreira da Silva encontrou no município de Jeremoabo (estado da Bahia), numa propriedade conhecida por Malhada da Caiçara, a companheira que o seguiu até os últimos momentos. Chamava-se Maria Déa de Oliveira, a qual passou à história com o apelido de Maria Bonita, a “rainha do cangaço”. Corria o ano de 1930 e a cabocla sertaneja tinha menos de vinte anos de idade, sendo na ocasião casada com um sapateiro conhecido por José de Nenén. Maria Déa deixou o marido para acompanhar Lampião, causando a estranheza do comandante Sinhô Pereira quando da entrevista a Macedo em julho de 1975, cuja assertiva fomentou que nunca permitiu e nem permitiria a presença feminina no cangaço.

Mulheres se destacaram como bravas guerrilheiras, como a famosa Dadá, esposa de Corisco, ferida em combate no qual pereceu o valente cangaceiro que vingou Lampião.
Tiveram vários filhos, mas apenas uma sobreviveu, a qual recebeu o nome de Expedita. Nasceu em plena seca de 1932 no estado sergipano e foi entregue a coiteiros de confiança para que não se expusesse a agrura do cangaço. Foi criada por um vaqueiro de nome Severo Mamede que trabalhava na fazenda Exú, propriedade de um fazendeiro de nome Zequinha Andrade, que era compadre de Lampião. Havia acertado com Lampião para que o vaqueiro ficasse com a menina logo de pois do nascimento (Araújo, 1982, p. 17).

Documentário cinematográfico:


Lampião se deixou filmar por um aventureiro de origem libanesa de nome Benjamin Abraão Botto. Secretário particular do Padre Cícero, Benjamin já havia tido contato com o cangaceiro quando este foi convocado por floro Bartolomeu da Costa para comparecer ao Juazeiro do Norte (CE) e receber uma falsa patente de Capitão do Exército Brasileiro. Com a morte do Padre Cícero Romão Batista em 1934, tentou convencer a empresa fotográfica ABA Filmes de Fortaleza (estado do Ceará) a incentivar sua aventura pelas caatingas baianas, encontrando o bando após inúmeros contatos com a malha protomafiosa de coiteiros que o assessorava nas investidas criminosas.
Realizado o filme e extensas sessões de fotografias com todo o grupo, Benjamin Abraão Botto não viveu o bastante para ver o resultado dos seus trabalhos cinematográfico e fotográfico. Foi assassinado de forma misteriosa no ano de 1937, enquanto Lampião e o bando, acossados com a repressão policial, teriam pouco tempo de atuação. 
De acordo com Mello (1985, p. 199);


A habilidade do cinegrafista verdadeiramente das arábias chegou a ponto de lhe permitir, num requinte mercadológico, a obtenção de uma declaração passada e, o que é ainda mais incrível, futura e exclusividade para o documentário elaborado, constando esta de uma carta de próprio punho do bandido, que Abraão faria publicar com grande alarde e em fac-símile na edição de 18 de fevereiro de 1937 do Diário de Pernambuco. (...) É fácil avaliar a irritação do presidente Getúlio Vargas e do seu Departamento de Imprensa e Propaganda. Começava a contagem regressiva para a destruição do cangaceiro-mor. Afinal, como seria possível modelar um Brasil novo com Lampião espiando do terreiro? 

O documentário elaborado por Benjamin Abraão Botto se responsabilizou pelo esclarecimento de vários subterfúgios dos coiteiros que assessoravam o cangaceirismo no Nordeste brasileiro, descortinando para os sulistas como estava montado o poderoso esquema que garantia parte do sucesso que Lampião alcançava. 



A morte de Lampião



No dia 28 de julho de 1938 o grupo descansava às margens do riacho Angico, um pequeno afluente do rio São Francisco do lado sergipano. Uma volante sob o comando do tenente João Bezerra, auxiliada pelo aspirante Francisco Ferreira de Mello e pelo sargento Aniceto, conseguiu finalmente alcançá-los na grota de angicos, município de Poço Redondo, travando-se um tiroteio no qual onze cangaceiros e um soldado foram mortos, colocando-se um ponto final na atribulada atuação de Virgulino Ferreira da Silva como o mais bem sucedido chefe de bando do Nordeste Brasileiro. Segundo Araújo (1982, p. 34) até hoje não se sabe ao certo o nome de todos que tombaram em Angico. Recorrendo a imprescindível colaboração de ex-cangaceiros, como Dadá, Cila, Zé Sereno, Criança, Pitombeira e Balão relacionou Quinta-feira, Maria Bonita, Luiz Pedro, Mergulhão, Elétrico, Enedina, Cajarana, Tempestade e Marcela. 
Nas proximidades da área onde foi travado o último combate do “rei do cangaço”, no qual ele não conseguiu disparar um único tiro, estava a volante dos Nazarenos, que buscava a todo custo reivindicar a glória pela morte de Lampião. Consideraram o objetivo alcançado pelo oficial alagoano uma afronta, pois quem era para ter liquidado com o bandido deveria ter sido eles. Passaram quase duas décadas seguindo os seus passos. Suspeitava-se que João Bezerra realizava negócios escusos com Lampião, fornecendo-lhe armas e munição.
Procedida à rapina usual quando dos combates e mortes de cangaceiros, os corpos foram degolados e as cabeças levadas primeiro para a cidade de Piranhas (estado de Alagoas), palco de diversas tropelias de Lampião, inclusive de um ataque formidável quando a cangaceira Inacinha, esposa de um bandido apelidado Gato, havia sido capturada pela volante liderada pelo mesmo homem que comandou a chacina de Angicos.
As cabeças dos cangaceiros mortos foram levadas para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues, em Salvador (BA), onde foram estudadas pacientemente a fim de que revelassem sinais de degenerescências lombrosianas, tendo em vista que as teorias do médico-antropólogo italiano estavam em voga na época como forma de explicar a inserção de cidadãos comuns no mundo do crime.
Em maio de 1969, depois de mais de três décadas finalmente o que restou dos cangaceiros mortos em angicos foi enterrado no cemitério das Quintas, em Salvador, capital baiana, devendo-se a isso, em parte, à pressão do Dr. Sylvio Hermano de Bulhões, filho de Corisco e Dadá, que mobilizou a opinião pública para que pusessem fim a exposição bárbara dos restos mortais dos principais expoentes do ciclo épico do cangaço no século 20.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

ALMEIDA, Érico de. Lampeão, sua história. Parahyba/PB: Imprensa Official, 1926.

ARAÚJO, Antônio Amaury Correia de. Assim morreu Lampião. São Paulo/SP: Traço Editora Ltda., 1982.

CARVALHO, J. Rodrigues de. Serrote Preto: Lampião e seus sequazes. 2. ed. Rio de Janeiro/RJ: SEDEGRA S/A – Gráficos e Editores, 1974.

FERNANDES, Raul. A marcha de Lampião – assalto a Mossoró. 4. ed. Mossoró/RN: Fundação Vingt-un Rosado, 1999 (Coleção Mossoroense, Série “C”, Vol. 1074).

MACIEL, Frederico Bezerra. Lampião, seu tempo e seu reinado (II – A Guerra de Guerrilhas – Fase de vinditas). Petrópolis/RJ: Vozes, 1985.

MACEDO, Nertan. Lampião – Capitão Virgulino Ferreira. 5. ed. Rio de Janeiro/RJ: Editora Renes, 1975.

_________. Sinhô Pereira – O comandante de Lampião. São Cristóvão/RJ: Ed. Artenova S. A., 1975.

MELLO, Frederico Pernambucano de. Guerreiros do sol: O banditismo no nordeste do Brasil. Recife/PE: FUNDAJ / Ed. Massangana, 1985.

NÓBREGA, F. Pereira. Vingança, não – Depoimento sobre Chico Pereira e cangaceiros do Nordeste. 3. ed. João Pessoa/PB: Departamento de Produção Gráfica, 1989.

OLIVEIRA, Aglae Lima de. Adriana – A vida de uma professora no Estado de Pernambuco no tempo de Lampião. 2. ed. Recife/PE: FUNDARPE,1985.

José Romero Araújo Cardoso - Prof. do departamento de geografia da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.
Benedito Vasconcelos Mendes - Prof. do departamento de geografia da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.
Suzana Goretti Lima Leite – Advogada e Pedagoga. Membro da Academia Mossoroense Feminina de letras.