terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Movimento Patu 2001

O Movimento Patu 2001 provocou intervenções em vários setores sociais do município de Patu: Destaque para:

Fenômeno do Cangaço 
 O fenômeno geohistórico do cangaço pré-lampiônico correspondente ao conflito dos "Brilhantes com os Limões", ocorrido na segunda metade do século XIX, foi alvo das preocupações culturais do Movimento. Antes, porém, nos seus preâmbulos representados pela realização da Jornada Universitária de 1987 foi viabilizada a segunda edição de "Jesuíno Brilhante", em história de quadrinhos, de autoria de Emanoel Amaral e Aucides Sales, que serviu de inspiração para o movimento promover um novo ciclo de investigação histórico-social sobre esta importante passagem da história brasileira, resultando na formulação da dissertação de mestrado: "Lugares de Memória - Jesuíno Brilhante e os Testemunhos do Cangaço no Oeste do Rio Grande do Norte e Fronteira Paraibana" (UFPB 2010), da professora Lúcia Holanda, e  no lançamento do livro "A Saga dos Limões - Negritude no Enfrentamento ao Cangaço de Jesuíno Brilhante", em julho de 2011, do médico psiquiatra Epitácio de Andrade Filho, fundador do Movimento Patu 2001.
Despertou e Valorizou a Comunidade Negra Quilombolas do Jatobá 
Epitácio Andrade e Quilombolas do Jatobá
.                          Mobilizador dos segmentos sociais e étnicos menos favorecidos da população sertaneja, o Movimento Patu 2001 iniciou o resgate histórico da comunidade quilombola do Jatobá, cuja imissão coletiva da posse ocorreu no último 20 de novembro de 2012, dia da consciência negra, constituindo-se num dos processos mais avançados de regularização fundiária de uma comunidade tradicional do Brasil.
Visita de Dona Chica Brejeira ao Jatobá
                           Entre as iniciativas desenvolvidas pelo Movimento na comunidade quilombola do Jatobá, localizada na zona rural de Patu, está a construção das articulações com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), com a participação decisiva do engenheiro agrônomo Francisco Rodrigues (Kavei), e a viabilização da visita da cidadã centenária de maior longevidade já registrada no país, Dona Chica Brejeira (1884-2002), em 1999, quando estava com 115 anos.     
Resgate Histórico-Cultural
Bangalô na estrada do Jatobá
                              O Movimento Patu 2001 mostrou a riqueza cultural da pobre comunidade quilombola do Jatobá ao mundo com poesia. Num velho bangalô da estrada do Jatobá expôs uma faixa-poema: "Sítio arqueológico do Jatobá a 10 km a frente, há 10 mil anos atrás". 
Dia da Poesia
                     Nem só o bangalô da estrada do Jatobá foi alvo das intervenções de faixas-poema do Movimento Patu 2001, mas todo o município. Em 14 de março de 1997, dia nacional da poesia, foi realização o I Encontro dos Poetas Patuenses, com as presenças dos poetas Zé Bezerra e Antônio Apolinário, do cordelista Zé de Alzerina e da poetisa Maria Celi Suassuna Leite, que mais tarde comporia o hino da cidade altaneira.
Hino de Patu RN
 Encontro de Poetas e Poetisas em 14 de março
                   
Radiodifusão Comunitária 
 A Rádio Serrana FM nasceu com a Luta do Movimento Patu 2001 

 Percebendo a efervescência cultural com o surgimento de novas construções sociais, o Movimento Patu 2001 decidiu desencadear um processo de democratização da informação no sertão potiguar, em parceria com o 'expert' em tecnologias da comunicação João Batista de Moura, com o professor Aluísio Dutra e com o cantor Galego Vovô, dentre outros, passando a discutir um instrumental teórico-prático de radiodifusão comunitária, por meio da realização anual de encontros que tematizaram comunicação alternativa com saúde mental, a partir do ano de 1999. Foram realizados encontros no hospital de Janduís, no Santuário do Lima em Patu, na secretaria paroquial de Martins e na Prefeitura de Rafael Fernandes, resultando na implantação de experiências de radiodifusão comunitária que persistem até hoje ou foram alvo da perseguição da repressão oficial dos tempos da década perdida. O último encontro realizado contou com a participação dos usuários do programa "Porque hoje é Sábado" da Rádio Rural de Caicó, uma experiência de rádio-teatro com pacientes em atenção psicossocial.
 
 Programa Porque Hoje é Sábado pela Rádio Rural de Caicó 

Visita a FM Independência de Campo Grande -RN

Saúde Mental
Pedra fundamental da Saúde mental do médio-oeste
                       Com as presenças das professoras Raimunda Cleonice Dantas, Isabel Saraiva Forte e Vanda Godeiro Carlos, do "artífice de ferro" Luiz Saraiva, do artesão-cantareiro José Pernambuco, de profissionais da saúde e estudantes, o médico psiquiatra e pesquisador social Epitácio de Andrade Filho com sua família, no dia 09 de abril de 1997, comemorou seu aniversário no Hospital-maternidade Dr. Aderson Dutra, lançando a pedra fundamental da saúde mental no médio-oeste do Rio Grande do Norte, o embrião do que seria mais tarde o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS/Patu).
Apoio ao Boi de Cortejo de João de Artur
João de Artur com Epitácio Andrade
                     Realizando duas edições da mostra de etnopsiquiatria, o Movimento Patu 2001 sempre procurou integrar nas suas intervenções o campo cultural com a saúde mental. No resgate histórico do grupo folclórico "O Boi de João de Artur", inventado em 1976, foi possibilitada a alternativa de diversão e arte para os segmentos mais pobres da população. Ao grupo inicial de três brinquedos alegóricos, foram somados a boneca Gabriela e o boneco Cascudão, trazendo ingredientes culturais à manifestação folclórica, que passou a percorrer o nordeste brasileiro e fazer apresentações com grandes nomes da música nacional, como o cantor Lobão, e com artistas potiguares.
Apoio aos Artistas Locais e Intercâmbios com Artistas de nível Nacional 
João de Artur com Lobão e músicos potiguares
                     O Movimento Patu 2001 fez importantes parcerias com expoentes do cenário cultural potiguar como o artista multimídia J. Medeiros, autor da obra "Os 100 Terras", usada como estratégia pedagógica para o desenvolvimento da consciência política de trabalhadores rurais, em articulação com Pola Pinto, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Messias Targino, e com o artista plástico Ricardo Veriano, autor da tela "Desarme-se", obra que tematiza a questão da violência e que o movimento utilizou como recurso didático para a construção da cultura da paz.
"Desarme-se", de Ricardo Veriano.
                      
CONVITE
Comemoração dos 15 Anos do Movimento Patu 2001
        Neste próximo dia 15 de dezembro, das 10 as 22 horas, no Bar do cantor Cláudio Saraiva, no cruzamento da Rua Aníbal Brandão com a Rua Sucupira, em Nova Parnamirim, grande Natal, capital do Rio Grande do Norte, os militantes e simpatizantes do Movimento Patu 2001 estarão reunidos para comemorar os 15 anos de conquistas e vitórias, com música, diversão, arte e outros alimentos necessários para a plenitude da existência humana.
Texto de Epitácio Filho.
 
         

Imagens do Baile de Formatura de Iran Almeida 

O Baile de Formatura aconteceu Sábado (08) na cidade de Sousa/PB. Confira as imagens:

Iran Almeida e seu pai Prof. e Poeta José Bezerra


 Ícaro Rian - filho de Iran Almeida


Uma Trajetória Estudantil...
 
IRAN desde os seus dias infantis
Aos estudos é muito dedicado
Frequentando a escola com prazer
Sempre estando atento e motivado
E bem antes dos sete de idade
Encontrava-se alfabetizado.

Nos ensinos fundamental e médio
Foi brilhante ali sua passagem
De gestão escolar ganhou comenda
Em reconhecimento e homenagem
Por ser um estudante nota dez
Em conduta e em aprendizagem.

Concluindo essa fase de estudos
Ingressava na universidade
Passa a ser um bolsista numa escola
Dividindo a responsabilidade
Estudando e ensinando matemática
Isso tudo com muita habilidade.

Graduado, estuda pra concursos
Logo cedo em um é aprovado
Muito jovem ingressa nas fileiras
Dos servidores públicos do Estado
Exercendo a função de ASG
Numa escola onde havia estudado.

Preparando-se para mais concursos
Submete-se a outros na sequência
E mais tarde, em mais dois é aprovado
Pelo mérito de sua inteligência
Para o Judiciário do Estado
E INSS, a Previdência.

Obtém boa classificação
Outra expectativa inicia
Convocado é pela Previdência
Larga a escola e se manda todo dia
Vai vivenciar nova experiência
Trabalhar na cidade Alexandria.

Ele ali passa logo a defrontar-se
Com trabalho corrido e sufocante
Tinha que acordar-se muito cedo
Já que essa cidade era distante
E a tarefa de atender ao público
Era muito exaustiva e estressante.

Mas em menos de um ano libertou-se
Quando foi pra Justiça convocado
Para o cargo de técnico judiciário
Ao fórum da comarca encaminhado
Marcelino Vieira era a cidade
Também no alto oeste do Estado.

Gerencia o seu tempo e pode ver
Que não deve parar de estudar
E na sede da UERN em Mossoró
Uma “pós” já começa a pleitear
É na computação e informática
Que especialista quer ficar.

Esse curso durava mais de um ano
Sendo presencial até o fim
Nos finais de semana eram as aulas
Era mais oportuno sendo assim
Enfrentando batalha nos estudos
Para ele não tinha tempo ruim.

Sexta à noite e o sábado em Mossoró
Estudava essa pós-graduação
Após todo o cansaço da semana
Seguiu firme até a conclusão
Mas o seu grande sonho ainda estava
Bem distante da realização.

Perseguindo esse sonho foi avante
Com coragem e determinação
O empenho e a força de vontade
Reforçaram a sua decisão
Para cursar Direito e definir
O futuro da sua profissão.

Essa marca da obstinação
Deu impulso à sua caminhada
Mais vigor para o grande desafio
Impelindo as passadas na estrada
Numa marcha constante até chegar
Ao alcance da meta desejada.

A tarefa foi desafiadora
A palavra de ordem era ousadia
Ter desânimo estava proibido
Descomprometimento não havia
Em quem muito aspirava conseguir
Graduar-se em advocacia.

Com um vestibular sem ter sucesso
Não o fez abrir mão da persistência
Ao tentar novamente passa em dois
Um em Sousa e UERN na sequência
Não deseja optar por Mossoró
À UFCG dá preferência.

Trabalhando em dois expedientes
De segunda até a sexta-feira
À tardinha seguindo para Sousa
No momento, a distância era a barreira
Para quem a batalha iniciava
Indo lá de Marcelino Vieira.

Transferiu-se enfim pra Pau dos Ferros
Isso era o que ele mais queria
Que a viagem ficava mais direta
Para ir até Sousa todo dia
Com mais outros colegas numa van
Cem quilômetros cortando a rodovia.

Vinte e duas e trinta regressava
Para a perseverança dando espaço
Após um longo dia de trabalho
E assistir cinco aulas passo a passo
Só chegava em casa a meia noite
Abatido de sono e cansaço.

Cinco anos e meio nesse ritmo
Pra chegar ao final da trajetória
Deus lhe deu força e luz pra construir
Esse ímpar capítulo em sua história
E agora está gratificado
Pela grande conquista da vitória.

Foi a meta alcançada com sucesso
Pelas bênçãos e graças do Senhor
Manifesta-se a Deus com alegria
O agradecimento e o louvor
A brilhante carreira nos estudos
É incomensurável seu valor
Por tornar esse jovem destemido
Das batalhas da vida um vencedor.


Autor: Zé Bezerra

3 comentários:

  1. Não poderia deixar de parabenizar o nobre Iran Almeida, do qual já fui aluno, por mais essa vitória alcançada. Exemplos como o dele devem ser sempre lembrados e referenciados aos nossos jovens, sobretudo os mais humildes, que costumam se colocar em posição de inferioridade frente aos estudantes dos grandes centros urbanos. Estudante de escola pública, foi um desbravador patuense no que se refere a seleções públicas, aprovado - além dos vestibulares de Matemática, Contábeis e Direito - em certames estaduais e federais. Sempre gentil no trato, inspirou e orientou uma geração de jovens patuenses. Até hoje lembro e utilizo muitas de suas dicas sobre estudo e resolução de provas.

    É sempre gratificante ver mais um conterrâneo vencendo por meio do esforço, da dedicação e da perseverança. Que seu exemplo continue inspirando os jovens de nossa cidade a buscar na educação o meio transformar sua realidade social, cultural, econômica e financeira.

    Forte abraço
    Jailton Fernandes
    Servidor Público Federal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado amigo Jailton!
      Em verdade, você é um exemplo de que a dedicação aos estudos e a perseverança pode proporcionar conquitas valorosas em nossas vidas. Sou orgulhoso em dizer que fui seu professor. Embora, com pouca experiência no magistério, percebi de logo sua obstinação pelos estudos e sempre estive convicto que a sua colheita de frutos era questão de tempo. E acertei, perdi as contas de tantas aprovações suas em concursos. Continue assim.
      Grande abraço!
      Iran Almeida

      Excluir
    2. Amigo Aluísio Dutra,
      Agradeço a publicação dos versos, presente que recebi do meu pai, alusivos à minha formatura.
      Forte abraço!
      Iran Almeida

      Excluir