quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Algo da História do Lima

Capítulo 17


Silvano Schoenberger


Administração do Pe. João Begon.

No dia 1° de fevereiro de 1955, vindo transferido do Crato, assume Pe. João Begon como sétimo administrador do Santuário do Lima. Seu espírito prático, fez com que imediatamente providenciasse meios de sustentação do Santuário através da criação de gado e plantações de legumes e pastagens para as treze vacas, mais alguns garrotes e ovelhas. Providenciou paredes de proteção para a barragem e melhoramentos nas curvas da estrada. Contrariando o plano anterior de Pe. Henrique que pensava em demolir o antigo Santuário, era da opinião de que se deveria conservar as coisas antigas, pois se tratava de uma igreja histórica cuja restauração não seria difícil, pois as paredes eram suficientemente sólidas. Considerava uma verdadeira loucura construir uma igreja nova. Inclusive escreveu ao bispo Dom Eliseu Simões Mendes se oferecendo a fazer melhoramentos significativos na antiga igreja, tais como janelas com vitrais, novo piso, altar mais bonito, elevação do teto e uma linda escadaria na entrada, onde Pe. Henrique já havia mandado fazer escavações. Tais providências preservariam a historicidade e reduziria despesas, de tal maneira que ainda poderia sobrar dinheiro, isto é, a terça parte das ofertas dos romeiros, para ser remetido à Cúria Diocesana de Mossoró. O bispo imediatamente aprovou plano e planta, respondendo: "... porque iríamos iniciar uma construção maior em tempos tão difíceis?". No mês de outubro, decepcionado com o pouco movimento e reduzida presença de romeiros, apesar do bom inverno que houve, Pe. João começou a ficar desanimado, achando difícil iniciar a reforma da igreja. O Provincial, Pe. Xavier Nierhoff sugeriu devolver a administração do Santuário ao Bispo em virtude da escassez de padres da Congregação e para isso, estava disposto a consultar ao Superior Geral em Grave, na Holanda. No entanto, tal plano não se concretizou. No dia 07 de dezembro, Pe. João Begon viajou a Recife para tratamento de saúde. Encerrou seu mandato com 10 meses de permanência no Lima e sem conseguir realizar a maioria de seus sonhos.

Pe. João Begon não concordava com a idéia de Pe. Henrique de construir um novo templo (Hoje o Santuário do Lima). Ele defendia a reforma da Igreja Antiga. Veja foto da Igreja Antiga (lado direito da foto). Pe. Henrique deu prosseguimento ao seu projeto e construiu o Santuário do Lima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário