sexta-feira, 31 de agosto de 2018

O PT em Patu Apoia e Vota na seguinte Chapa








Reajuste dos juízes enfrenta agora polêmica do auxílio-alimentação

A solução articulada pelo ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), para garantir o reajuste salarial de 16,38%para magistrados em troca do fim do auxílio-moradia deve passar por uma ação que discute no tribunal um outro benefício, o auxílio-alimentação.

A ação sobre o auxílio-alimentação está na pauta de julgamentos do dia 12 de setembro. Trata-se da ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) 4822. Sua análise começou em 2013 e será retomada no voto de Toffoli, que pediu vista naquele ano.
Essa saída está em estudo no Supremo porque o ministro Luiz Fux, que é o relator das ações que tratam do auxílio-moradia, tem indicado que pode não levá-las a julgamento em breve.
Na quarta-feira (29), integrantes do governo federal e do Judiciário informaram que Toffoli e Fux se comprometeram, em reunião com o presidente Michel Temer, a extinguir o auxílio-moradia irrestrito que hoje é pago a toda a magistratura.

Petrobras anuncia reajuste de 13% no preço do diesel nas refinarias

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (31) reajuste de 13,03% no preço médio do diesel praticado pela estatal nas refinarias. O preço do litro subirá de R$ 2,0316 para R$ 2,2964.


A população de Severiano Melo (RN) é menor que os eleitores

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) identificou que em 308 cidades do Brasil o número de eleitores é maior que o de habitantes, considerando a estimativa populacional. Metade dos municípios onde ocorre a inversão está em Minas Gerais, no Rio Grande do Sul e em Goiás e todos são de pequeno porte, segundo levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Severiano Melo (RN) é uma delas. O número de eleitores é bem maior do que a população. A disparidade entre eleitores e residentes também é maior do que 3,2 mil.
Fonte: Blog do Robson Pires.

terça-feira, 28 de agosto de 2018

A História de Pedrinho da Padaria.

Pedro Rufino Filho, nasceu no dia 29 de novembro de 1935, ao pé da serra da cidade de Martins-RN, filho do casal Pedro Rufino de Barros e Santina Almeida Costa, de quem ganhou como irmãos Francisco e Horlando (In memoriam), José Rufino, João Almeida, Nelsinho, Terezinha, Ritinha e Maricô, aos quais ele amou intensamente sem fazer distinção. Viveu sua infância na região de Almino Afonso, sendo alfabetizado, período que aproveitou para aprontar suas peraltices de criança, como ele próprio costumava recordar falando de suas memórias aos filhos, sempre enfatizando que ao aprontar suas presepadas não poupava nem mesmo as professoras. Quando jovem era um rapaz de muitos amigos, dentre os quais destacava o senhor, Gilvan Belo. Nunca dispensava um bom forró, o que sempre fez crer, pelo seu jeito boêmio de ser. Entretanto, paralelo as suas peraltices de infância e sua boemia juvenil, estava presente o trabalho árduo, causa que abraçou ainda na infância ao lado de seu pai e seus irmãos. 
Iniciou sua vida de trabalho com a prática da agricultura, mas ainda muito cedo assumiu o ofício de padeiro, profissão que ele honrou até o último momento de sua vida. Nessa área foi sempre um profissional insuperável e inigualável, tanto é que, ainda hoje em Patu, não se produz massa com a qualidade como ele produzia, apesar de trabalhar com equipamentos tão rudimentares, que ele próprio denominava de gangorra. Ainda muito jovem, aos 21 anos de idade conheceu uma linda jovem alminoafonsense, chamada Lindalva, por quem se apaixonou e casou, a quem carinhosamente a tratava por “Meu Bem”, com ela conviveu harmoniosamente e amorosamente durante 48 anos de sua existência, com quem concebeu, segundo ele sete maravilhosos filhos. Sendo sua primogênita, Aparecida, casada com Luiz Gomes da Silva, conhecido por (Lula) que também partiu cedo desta vida, deixando desta união três filhos, Luiz, Pedro e Paulo Wictor, casado com Denise Laiara, que tiveram Luiz Felipe e Lucas Miguel (bisnetos). Sua segunda filha foi Linderlan, que casou com José Maria e tiveram 2 filhos, Ana Lígia e João Pedro. A terceira filha é Linderleide, conhecida carinhosamente por todos como “Leleida” que casou com Neto de Abigail e tiveram três filhos, Clara, que foi sua primeira neta, Cássio e Cilas. A quarta filha é Lindinalva, que casou com Preto, e desta união nasceu Pedro Lucas. Finalmente, na quinta tentativa, nasceu seu único esperado filho homem, Linaldo, casado com Sandra, pai de Gabriel. Em seguida nasce sua sexta filha, Márcia, que casou com Erismar e tiveram, Eliézio Neto, Érica e Évilin. Encerrando sua prole, nasceu Maria de Fátima, casada com Hélio Azevedo, que tiveram Ana Clara e Pedro Cauã.
Como ele amou todos os seus filhos, tanto é, que vivia a repetir “ Meus filhos são a minha maior riqueza”. Talvez por isso seja tão difícil falar de sua pessoa. Dizer que foi um pai amoroso, dedicado e carinhoso, é verdade, mas é pouco se considerarmos a imensidão do amor que demonstrava sentir por todos os filhos, pois viveu cada instante da sua vida em função da sua família. Pedrinho da Padaria trabalhava continuamente, fazendo da sua labuta momento prazeroso, ao irradiar alegria no seu ambiente de trabalho, quando cantava, tirava repente ou fazia piada com seus ajudantes. Como esposo foi um exemplo de companheirismo, respeito e dedicação, sem nada deixar a desejar ao seu bem querer, como fazia questão de frisar quando se dirigia a sua amada. Na cidade de Patu, viveu a maior parte de seus dias, foi nessa cidade que criou e educou seus sete filhos, com total integridade, transmitindo aos mesmos valores como honestidade, fidelidade e respeito ao próximo. Apesar de toda dedicação que teve para com sua família, não lhe faltou tempo para cultivar grandes amizades e pequenos hábitos que marcaram profundamente a vida de todos da família. Gostava de visitar a estação ferroviária de Patu, aguardar a passagem do trem, bem como os banhos aos domingos no açude de “Ozim”, as seções de cinema e as partidas de futebol, que nunca perdeu uma sequer, fosse no campo do “Godeirão” ou na Boate Pântano, onde chegou a ir alguns carnavais. A marca mais profunda que ele deixou foi o espaço da calcada de sua casa na avenida Lauro Maia, onde em sua cadeira de balanço sentava todas as manhãs a espera de seus amigos, dentre eles Dami e o compadre Miga para com eles recordar suas boas lembranças.
 Era também nessa calçada que ele contava suas inúmeras histórias de vida, onde muitas vezes fazia rir e chorar mostrando aos filhos quantas dificuldades enfrentou por amor a todos eles. Pedrinho era simples e humano, quanta fome saciou das pessoas mais humildes, pois esteve sempre a dividir seu pão com quem necessitasse. Sua bondade infinita o transformou em um grande homem, é por isso que seus filhos sentem orgulho de serem filhos de Pedrinho da Padaria. Todos sabem que foi por amor a essa pessoa tão especial que no dia 2 de outubro de 2005, às 6 da manhã, de um dia de domingo, e de uma maneira tão tranquila e serena que Jesus veio lhe buscar. A sua família sente e sofre a sua falta, a saudade aperta o peito de todos da família, atingindo a alma. Sabemos que seu Pedrinho da Padaria cumpriu sua missão entre os homens e que hoje ele repousa em paz ao lado dos seus pais e irmãos e sua família continua vivendo alicerçada nos princípios e valores que ele ensinou. Portanto aqui foi um pouco da história de um grande homem que fixou morada em Patu, criou a sua família como muito amor e carinho, exerceu a profissão de padreiro durante muitos, considerado um homem de respeito e humano para com o próximo, merecendo fazer parte da história do nosso município.

Reportagem de Aluísio Dutra de Oliveira.
Texto: Linderleide Almeida.
Fotos: Cedidas pela família.




Pedrinho da Padaria com a família reunida


segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Aposentados do INSS começam a receber 1ª parcela do 13º

De acordo com a Secretaria de Previdência, o depósito será feito junto com a folha mensal de pagamentos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) até 10 de setembro, conforme a Tabela de Pagamentos de Benefícios 2018.

A estimativa é de que essa antecipação injete na economia do país R$ 20,7 bilhões em agosto e setembro. Segundo o INSS, 29,7 milhões de beneficiários terão direito a receber a primeira parcela do abono anual, que corresponde à metade do valor do benefício. Aposentados do INSS começam a receber 1ª parcela do 13º

Boletos acima de R$ 400 já podem ser pagos em qualquer banco após vencimento

Desde o último sábado (25), os boletos com valor entre R$ 400,00 e R$ 799,00 passados de sua data de vencimento, poderão ser pagos em qualquer banco.

A novidade é resultado da operação de implementação da Nova Plataforma de Cobrança desenvolvida pelos bancos em parceria com a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN). O sistema de liquidação e compensação para os boletos de pagamento exige que para que o benefício esteja disponível é necessário que o boleto esteja cadastrado na base de dados do sistema.

Fátima Bezerra recebe Comitiva de Patu

Uma comitiva da cidade de Patu foi recebida pela candidata a governadora, Fátima Bezerra, na última sexta feira (25/08) em Mossoró. O encontro foi articulado pelo candidato a deputado federal, Caramuru Paiva, que está recebendo apoio de várias lideranças de Patu, da áreas de educação e dos movimentos sociais organizados do município. Participaram do encontro com a futura governadora, as seguintes lideranças: Atimar Godeiro, Presidente Municipal do Partido dos Trabalhadores, Kaká de Bodin (vereadora), Aluísio Dutra (prof. da UERN e vice-presidente municipal do PT), Marcondes Pereira (presidente do Sindicato dos Trabalhares Rurais de Patu), Raimundo Reis (Líder Comunitário), Francisco Figueiredo "Bodin (ex-vereador), Atson Suassuna (Artista Cultural) e Lacerda Moura (suplente de vereador). Participaram também do encontro os candidatos ao senado, Zenaide Maia e Alexandre Motta.
 O encontro com Fátima Bezerra foi muito proveitoso, onde a comitiva de Patu levou o apoio a campanha dela bem como informou a mesma as principais prioridades do município de Patu para que faça parte do programa de governo.  Fátima agradeceu a todos pelo apoio e reafirmou o compromisso de fazer um governo voltado para as prioridades do RN e dessa forma o município de Patu estará sendo contemplado com certeza. 
  

História de Seu Olegário da Mercearia

Olegário Dorotea Dutra é natural de Brejo do Cruz, nasceu no Sítio Poço da Onça, sertão paraibano, aos 27 de maio de 1925. Olegário foi um senhor simples, mas, de mente privilegiada, porém sem ostentação. Filho de Manoel Dorotea Dutra e Izabel Santina Dutra, membro de uma família de 10 irmãos, escolhendo Patu para morar, no qual foi comerciante por quase 60 anos, como também, funcionário público estadual, sendo responsável pelo setor de emissão de carteira de identidade (RG) no município de Patu por mais de vinte anos.
Muito cedo, Olegário Dutra, saiu de casa tendo trabalhado como queijeiro na fazenda dos Saldanhas.  A primeira vez que veio a Patu foi em um carnaval, com um enorme chapéu na cabeça, com a frase: “SOU O BICHO DO MATO”. Ele veio morar em Patu no ano de 1949, em seguida teve um relacionamento com a jovem Lígia Carlos da Silva Dutra, Filha de João Carlos, como quem casou no mesmo ano. No ao de 1951, assumiu o cargo de Escrivão da Polícia (interinamente). No ano de 1952 sua esposa , Lígia Carlos, teve problemas de saúde onde veio a falecer.
No ano de 1955, foi nomeado para o cargo de Escrivão da Polícia, Padrão “A” do Estado - Delegacia de Patu, já que se encontrava exercendo interinamente há algum tempo. Por motivos políticos ele foi transferido, ex-ofício, do cargo de escrivão da Polícia para o cargo de carcereiro, padrão “B” da Cadeia Pública de Patu, empossado em 19 de janeiro de 1960, permanecendo no cargo  até a sua aposentadoria, ocorrida no ano de 1986.
Durante sua vida, gostava de ouvir o programa radiofônico, “A Voz do Brasil”, estava sempre com um rádio ouvindo as notícias deixando o mesmo muito atualizado, apesar dos afazeres. Todos os dias ele lia o jornal, Diário de Natal, que circulava na cidade. Qualquer assunto abordado ele discutia com maestria. 
Em 16 de setembro de 1953, casou-se com Margarida Aida de Moura Dutra, no qual tiveram dez filhos, sendo seis mulheres e quatro homens, são eles: Francisco Assis Dutra comerciante, viúvo de Gizélia Suassuna Barreto Dutra, Maria de Fátima Dutra - professora universitária, Maria Dalva Dutra Gomes Pinheiro - dentista , casada com o médico Ivan Gomes Pinheiro, com quem teve três filhos; Olegário Dorotea Dutra Filho, agente penitenciário, casado com Vera Lúcia Lima Dutra, funcionária pública, com quem teve três filhos; Maria Margarete Dutra Alves, casada com o empresário Boanerges Alves, com quem teve três filhos; Maria Ozanira Dutra Borges, nutricionista casada com o auditor fiscal, Carlos Mendonça Borges, com quem teve três filhos; Maria Jaqueline Dutra Ferreira da Silva, pedagoga, casada com o analista de sistema da Procuradoria da República, Amauri Ferreira da Silva, com quem teve duas filhas; Marcelino Dutra Neto, marceneiro, casado com Rita Maria Ferreira, com quem teve dois filhos;  Carlos Alberto Dutra ( in memoriam), casado com Lenilda Moura, com quem teve duas filhas; Márcia Cristina Dutra-  economista e bancária. Seus netos e netas: Carolina Dutra Gomes Pinheiro, fisioterapeuta e mestre em fisioterapia, Beatriz Dutra Gomes Pinheiro, médica, Mona Brena Dutra Alves, advogada, Ana Marina Dutra Ferreira da Silva, médica, Ana Marília Dutra Ferreira da Silva, advogada e Mestre em Direito Institucional, Carla Dutra Borges, engenheira de produção, Hercília Dutra Borges, advogada, Hortência Ferreira Dutra, engenheira florestal, Thiany Dutra Lima – assistente social, Carliana Moura Dutra – pedagoga, Carla Moura Dutra – pedagoga, Max Breno Alves Dutra, médico, Max Bruno Alves Dutra, advogado,  Rafael Dutra Borges, engenheiro de petróleo e Mestre em Administração, Marcelo Ferreira Dutra – universitário, Thiago Dutra, servidor área de saúde, Thiego Dutra, comerciante, Harrisaon Sena - promotor de eventos. Seus bisnetos e bisnetas:  João Pedro, Adílio, Murilo, Sara Dutra, Clara, Luana e Nicole.
Olegário Dutra era muito compenetrado com o que fazia, vivia exclusivamente para o trabalho, saía de casa todos os dias às cinco horas da manhã para a mercearia e voltava à noite. Educou os dez filhos dando exemplo de honestidade, responsabilidade e trabalho. Avesso a devaneios, tinha muitos amigos, principalmente na zona rural no qual detinha muitos clientes onde  travava longos diálogos, mas, não gostava de fofocas. Era um homem sério, seu padrão de vida era a simplicidade, vivia como achava que devia viver, sendo um homem de bem. Não deixou inimigos, era da paz. A educação dos filhos sempre foi  prioridade para ele. 
Exerceu a profissão de comerciante na cidade de Patu por quase 60 anos, tendo possuído hotel, casa de jogo, mercearia, conhecida como a “Bodega de seu Olegário. Apesar dos altos e baixos, permaneceu no comércio até a sua morte que ocorreu no ano de 2006, com mais de 80 anos de idade.
Conhecido por suas respostas irreverentes, um dia, seu Olegário, estava jogando baralho, e de repente, alguém o chama para ir a mercearia (a casa de jogo era no sótão do prédio e na parte térrea funcionava a mercearia),  ele desceu e quando voltou, o baralho já estava distribuído, ele pegou olhou, e os demais perguntaram: vai Olegário? Ele respondeu, sou doido não, eu que não estava aqui, estou armado imaginem vocês! Certo dia uma cliente chegou e perguntou o preço do ovo, ele respondeu é tanto. Ela perguntou faça por tanto e ficou insistindo, seu Olegário faça o ovo por tanto, faça seu Olegário, o senhor faz? ele respondeu, quem faz o ovo é a galinha, não eu! Outro dia uma mulher perguntou se melancia com catarro (gripe) fazia mal, ele respondeu, mal eu não sei, mas que é muito seboso isso é! Chegou um homem e falou R$ 200,00 emprestados, dizendo que ia ali e quando voltasse pagava. Seu Olegário disse, vai ali que quando vier você traz? Então vá e traga, não precisa tomar emprestado! Certa vez chegou uma mulher e perguntou o preço de uma barra de sabão, ele respondeu, é tanto, ela falou, mas lá em fulano é mais barato, ele respondeu, então vá comprar lá! Em certa ocasião ele estava no Hospital do Coração, quando passou uma mulher com a região glútea bastante desenvolvida, ele olhou e falou: “é muita banha para dois ovos!. Certa vez chegou um cliente em sua bodega e perguntou, seu Olegário quanto é o quilo de açúcar? Ele respondeu é tanto, a pessoa não ouviu direito e disse, quanto? Ele respondeu, a pessoa não ouvi de novo e tornou a perguntar, é quanto? depois de perguntar várias vezes seu Olegário respondeu, sente-se aí e fique esperando outra pessoa entrar e perguntar o preço do açúcar, é quando vou responder. Em outra ocasião um jogador chegou na casa de jogo pela manhã, era período da semana santa, passou o dia jogando, a noite também, ao amanhecer ele estando já liso disse: seu Olegário, me dê um jejum. Ele respondeu, quer um jejum maior do que esse? um dia e uma noite sem comer! Um dia ao abrir o portão da casa para sair, uma pessoa que ia passando perguntou: vai para a rua seu Olegário? ele respondeu, na rua já estou. 
Durante a sua vida Olegário Doroteia Dutra recebeu muitas homenagens, como por exemplo, dando nome de uma rua no Bairro Padre José Kruza em Patu, e outra dando nome a um condomínio residencial na cidade de João Pessoa – PB, “Residencial Olegário Dutra” localizado à rua, Edilson Paiva  de Araújo – Jardim Cidade Universitária., homenagem prestada pelo sobrinho, Carlito Dutra. 
Portanto essa é um pouco da história de Olegário Doroteia Dutra, o “Seu Olegário da Mercearia”, paraibano que erradicou-se em Patu, edificou e educou a sua família como muito esmero, amor e dedicação, deixando a sua marca na história de nosso município.

Reportagem: Aluísio Dutra de Oliveira.
Fonte das informações: Maria de Fátima Dutra.
Fotos: Cedidas pela família. 

Galeria de Fotos de Olegário Dutra com a sua família.















CARAMURU (1313) ESTEVE COM FERNANDO HADDAD, FÁTIMA E CARAVANA AO LADO DO POVO DO OESTE

O Oeste é o berço do Candidato a Deputado Federal Caramuru Paiva 1313 e Mossoró é a terra da resistência e da liberdade. Este foi o lugar  escolhido por Fernando Haddad, candidato a vice presidente do PT, para trazer a mensagem do PresidenteLula. 

A candidata da coligação Do lado Certo (PT/PCdoB/PHS), Fátima Bezerra, emocionou aos que estavam presentes na plenária realizada no comitê Lula/Fátima no início desta tarde em Mossoró.
Ao lado de Fernando Haddad, candidato a vice-Presidente na chapa de Lula, Fátima leu em voz alta a Carta que fez para Haddad entregar a Lula.
“Tenho muito orgulho de estar nessa campanha ao seu lado. Seguimos firmes e fortes acreditando que o Brasil pode e vai ser feliz de novo. Sinto orgulho de fazer parte dessa campanha. O povo não abre mão de ter o sonho de ver você novamente Presidente”.



Fátima disse também do orgulho de ter o povo ao seu lado e de sempre ter caminhado ao lado de Lula, “pois o seu lado, Presidente, sempre foi o lado do povo brasileiro, o lado da democracia, o lado da justiça social. O imenso legado de cidadania e dignidade que seu governo, Presidente, promoveu, está presente em todas as regiões do meu querido Rio Grande do Norte. O povo brasileiro não quer Lula preso, quer Lula Presidente. Obrigada por nunca desistir do Brasil, por resistir, por não perder a fé. Que Deus o abençoe sempre!”
Ao falar do evento, Caramuru Paiva FEDERAL 1313 agradeceu o carinho do povo com a sua campanha e prometeu seguir levantando a bandeira do interior. "Quero dizer que só é possível pensar no RN desenvolvido se mencionar todos os sonhos das pessoas dos pequenos municípios do Oeste, Seridó e todas as regiões potiguares", afirmou Caramuru.


Fonte: Caraúbas Agroecológico.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Fátima está em Primeiro lugar na Pesquisa IBOPE. Robinson Faria o mais rejeitado.

A Senadora Fátima Bezerra (PT) lidera a corrida eleitoral para o governo do Estado do Rio Grande do Norte Estado com 34% das intenções de voto, revela uma pesquisa do Ibope divulgada na noite desta sexta-feira, 17, pela Inter TV, afiliada local da Rede Globo.

Em segundo lugar, vem o candidato do PDT, Carlos Eduardo, com 15% das preferências. O atual governador, Robinson Faria (PSD), aparece em terceiro colocado, com 8%.

Carlos Alberto, do PSOL, tem 2% e Brenno Queiroga, do Solidariedade, 1%. Freitas Júnior (Rede) e Heró Bezerra (PRTB) não pontuaram. Brancos e nulos somaram 31% e indecisos, 9%.

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.
Veja os índices:
Robinson Faria (PSD): 59%
Carlos Eduardo (PDT): 17%
Fátima Bezerra (PT): 14%
Brenno Queiroga (Solidariedade): 7%
Dário Barbosa (PSTU): 6%
Heró Bezerra (PRTB): 6%
Freitas Junior (Rede): 5%
Professor Carlos Alberto (PSOL): 5%
Poderia votar em todos: 1%
Não sabe: 18%


Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (17) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado no Rio Grande do Norte:
Capitão Styvenson (Rede): 23%
Garibaldi Filho (MDB): 21%
Geraldo Melo (PSDB): 14%
Zenaide Maia (PHS): 12%
Jácome (Podemos): 7%
Alexandre Motta (PT): 4%
Ana Célia (PSTU): 4%
Bispo Levi Costa (PRTB): 3%
Douglas Azevedo (Patriota): 2%
João Morais (PSTU): 2%
Magnólia (Solidariedade): 2%
Dr. Joanilson (DC): 1%
Jurandir Marinho (PRTB): 1%
Professor Lailson (PSOL): 1%
Telma Gurgel (PSOL): 1%
Branco/Nulo – Vaga 1: 28%
Branco/Nulo – Vaga 2: 46%
Não sabe: 27%.

A pesquisa Ibope também avaliou a gestão do governador Robinson Faria. Foram entrevistadas 812 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais.
Confira os números:
Ruim ou Péssima : 72%
Regular: 18%
Ótimo: 7%
Não souberam avaliar: 3%

A pesquisa foi encomendada pela Inter TV. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

A pesquisa tem margem de erro três pontos para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%. Ela foi feita entre 14 e 16 de agosto e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código TSE: BR-03466/2018

PT nacional quer vitória de Fátima no primeiro turno

Em primeiro lugar para o governo do Estado nas intenções de votos com 34% na última pesquisa do IBOPE a senadora e candidata a governadora Fátima Bezerra fez o PT nacional virar a luneta em direção ao Rio Grande do Norte. A prioridade é a de que Fátima decida o jogo já no primeiro turno.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

A Viagem de Zé Doido a Brasília


José Ernesto Ferreira, conhecido popularmente como “Zé Doido” foi convidado pelo piloto de Parapente e Asa Delta, André Fleury para participar em Formosa-GO, onde foi realizado no período de 22 a 29 de Julho de 2018 o Campeonato Brasileiro de Voo Livre em Parapente. Zé pegou o voo no Aeroporto Internacional Aluísio Alves em São Gonçalo do Amarante, onde foi conduzido pela equipe da Yasmim Turismo de Patu, nas pessoas de Rezinaldo Ernesto e Cristina.
No dia 20 de julho de 2018, Zé Doido chega ao Aeroporto Internacional  Juscelino Kubitschek em Brasília, na ocasião foi recepcionado por André Fleury e Nani. Nesse dia Zé Doido foi a casa de André e da Lú, ele achou a residência do piloto parecido com um museu e depois disse que era um palácio. Partiram para Formosa de Goiás no mesmo dia, no carro Toyota, chamado de “Lindaura”. Hospedaram-se na casa de Carlos Henrique, junto com a família de Rodrigo Gonzaga (Cláudia, Ricardo, Bernardo e Anna Raio), organizador do campeonato, que foi o primeiro campeonato de voo realizado na cidade de Formosa-GO.
No sábado houve um treino de voo e os pilotos pousaram no aeroporto da cidade de Formosa. No primeiro dia do campeonato de voo livre de parapente (22/07/2018), não houve prova porque estava ventando muito. Eles resolveram  ir para a cachoeira de Indaiá, tentar tomar um banho de rio, mas já estava fechada a entrada e tiveram de voltar para a cidade de Formosa.
No segundo dia de campeonato (23/07/2018), o vento estava mais forte ainda! Não foi possível decolagem, portanto a prova foi cancelada. No terceiro dia de campeonato (24/07), os pilotos conseguiram decolar, mas com muita dificuldade, por causa dos ventos fortes, provocados pela frente fria que chegou na região. Zé Doido ajudava os pilotos na decolagem, mas, a prova foi cancelada também.
Na quarta feira, dia 25 de julho, o vento estava mais fraco e os pilotos decolaram e foram em direção à Cachoeira de Itiquira, o pouso foi na cidade de Arapongas, no Distrito Federal, no grande “milharal”. Zé Doido tirou foto com a repórter Istéfani, que fez voo duplo de parapente com o Fleury, sendo produzida uma matéria que foi exibida no Globo Esporte de Brasília. Zé Doido apareceu na televisão!
Na quinta feira, 26 de julho, Fleury decolou para acompanhar os pilotos na prova. Zé Doido foi junto com o Lú fazer o resgate. Passaram pela Cidade Satélite de Sobradinho, depois pela Granja do Torto, uma das residências oficiais do presidente Lula, no período de seu mandato como presidente. Eles foram receber os pilotos na Esplanada dos Ministérios, foi muito lindo, cerca de 82 pilotos chegaram ao "Goal". Foi a primeira vez que tantos pilotos pousaram ao mesmo tempo na Capital Federal. Zé Doido estava muito feliz. Depois os mesmos foram jantar coma família do Fleury (a Lú, a filha Thábata, o filho Patrick e a filha caçula Rebeca), na casa do Lago Sul. Após o jantar voltaram para Formosa.
Na sexta feira, dia 27 de julho, Zé Doido foi com André Fleury conhecer a rampa de voo livre de Formosa. Passeou pela cidade e conheceu algumas fazendas com muito gado e muitos cavalos. Os pilotos foram para a Esplanada dos Ministérios, chegando 38 ao "Goal", o tempo ficou mais frio e foi difícil chegar ao pouso.
No sábado, 28 de julho, foi realizada a última prova do campeonato. O pouso deveria ser na cidade de Formosa, no aeroporto, mas os pilotos não conseguiram chegar lá. Zé Doido viu os planadores decolar.
Na festa de encerramento, na praça central da cidade, o prefeito e os vereadores foram bem recebidos com palmas, os pilotos vencedores do campeonato receberam prêmios e troféus.
No domingo, 29 de julho, Zé Doido foi conhecer a Praça dos Três Poderes. No Palácio do Alvorada viu os peixes nadando no espelho d'água. Foi também à Torre de Televisão, de onde olhou a cidade de cima, bem alto. Depois foram dormir na Chácara. Ele adorou, mas, passou muito frio. Dormiu na rede ao lado do fogão a lenha, mas não alimentou o fogo, pois não sabia fazê-lo, pois nunca havia lidado com fogo. Patu é muito quente e lá não se faz fogueira, “disse ele”. Zé Doido ganhou uma sela de presente de lembrança do piloto André Fleury, ele disse que era pra andar em sua burra.
Na segunda feira, 30 de julho de 2018, Zé Doido pegou o voo de volta a Natal, tendo sido recepcionado pela equipe da Yasmim Turismo que conduziu  o mesmo a sua terra Patu.
A amizade de Zé Doido com o piloto André Fleury é de longas datas, quando o mesmo vinha a Patu participar de provas ou mesmo praticar o voo livre em parapente na rampa de voo na Serra de Patu. A relação de Zé Doido e André Fleury, aumentou mais ainda quando, em outubro de 2006, aconteceu um acidente grave com o seu amigo piloto na serra de Patu.  André Fleury, da equipe de Paragliders Sol, que já estava acostumado a vir a Patu, foi traído pelos fortes ventos e seu parapente caiu em uma loca de pedra. André Fleury ficou várias horas preso nessa loca de pedra de difícil acesso, sendo achado por Zé Doido, que conhece a Serra de Patu como ninguém, e na oportunidade ficou com piloto horas segurando a sua coluna para que o mesmo não tivesse um dano maior de ficar paraplégico. Todas as formas de tentar retirar o piloto foram pensadas, mas, a família do piloto viabilizou a vinda de um helicóptero da FAB de Recife-PE, tendo sido foi possível fazer o resgate. 
Zé Doido também é considerado pelos pilotos de voo livre como o “anjo da guarda” pois sempre está presente em todos os momentos que os pilotos necessitam, ajudando de forma voluntária e com muito amor porque gosta do que está fazendo. Zé Doido também diz que é um poliglota, pois já aprendeu a falar, Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Italiano e outras línguas para poder se comunicar com os pilotos do mundo todo, que anualmente frequentam Patu na temporada de voo livre. Ele com 65 anos de idade é o principal guia turístico de Patu, considerado pelo amigo, médico e pesquisador social Epitácio Andrade Filho, como GPS humano, pois conhece tudo da Serra de Patu bem como de outros locais do município. Ele guarda em sua residência vários objetos antigos como, bola de ferro da época dos escravos, barras de ferros usadas nos freios do trem, selas, arreios, pedras etc. Zé Doido é um patrimônio vivo e histórico do município de Patu.


Fonte: Diário de Viagem de Zé Doido a Brasília - André Fleury.
A Folha Patuense.
Fotos: Campeonato Brasileiro de Voo Livre - Formosa - GO.