segunda-feira, 12 de junho de 2017

Cármen Lúcia classifica como crime suposta espionagem a Fachin


A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou neste sábado (10/6), por meio de nota, que “é inadmissível” a possibilidade de um ministro da Corte ter sido alvo de investigação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou neste sábado (10/6), por meio de nota, que “é inadmissível” a possibilidade de um ministro da Corte ter sido alvo de investigação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Comentário do Blog: Se fosse Dilma já teriam crucificada.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário