quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Deputado Francisco do PT homenageia a UERN pelos 52 anos de fundação



O deputado estadual Francisco do PT apresentou, nesta terça-feira (29), na Assembleia Legislativa do RN, “Voto de Louvor” em alusão aos 52 anos de história da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). 

   “A UERN é a terceira maior universidade estadual do Nordeste, com atuação em 18 municípios, espalhada por todas as regiões do RN. É uma das principais instituições de ensino superior do nosso estado e cumpre papel fundamental na interiorização e democratização do ensino superior. Sem a menor sombra de dúvida, a UERN é um dos maiores patrimônios e motivo de orgulho para todo o povo potiguar”, justificou Francisco do PT a homenagem apresentada. 

   Nas redes sociais, o parlamentar lembrou a importância da instituição para o povo do Rio Grande do Norte. "Orgulho Gigante! É o que nós potiguares temos desse nosso patrimônio. São 52 anos formando cidadãos (ãs) e excelentes profissionais, que contribuem para o desenvolvimento de nosso Estado e nosso país", destacou o parlamentar.

   Francisco lembrou ainda que o mandato dele estará sempre em defesa da Universidade. "Nossa defesa agora é pela aprovação do projeto de lei do Governo do Estado, que garante a nomeação de reitores(as) eleitos(as). Nossa luta será sempre por uma educação democrática e inclusiva", completou.

História 

   A UERN foi criada em 28 de setembro de 1968, pela Lei Municipal nº 20/68. Nasceu com o nome de Universidade Regional do Rio Grande do Norte – URRN, vinculada à Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte – FURRN. Em 1987, com a edição da lei estadual 5.546, a universidade foi estadualizada.

Mais um Membro da Família Moura Passa a Apoiar Kaká e Ronaldo.



Mais um membro da família Moura passa a apoiar o projeto de Kaká e Ronaldo rumo a prefeitura de Patu nas eleições municipais deste ano. Trata-se de Wdares Dantas de Moura que tem atuação como empresário da construção civil na região . Wdares é mais um integrante da família Moura que passa a apoiar as candidaturas de Kaká e Ronaldo, a exemplo do que aconteceu recentemente com Bebé  Moura e esposa que decidiram apoiar Kaká e Ronaldo.  Wdares  é filho de Edval Moura, agropecuarista e de dona Salete Moura,  que sempre militaram na política patuense.



Patu (RN): Prefeito Rivelino “treme nas bases”


O prefeito de Patu (RN) e candidato à reeleição Rivelino Câmara venceu as eleições passadas num “arrocho” muito grande. A diferença para o adversário Thacio Queiroga foi de apenas 229 votos. O que representou 2,82%. Uma média abaixo da margem de erro.

Esse ano, ele vai enfrentar uma candidata de peso apresentada pelo PL do deputado federal João Maia, vereadora  Kaka de Bodim, que tem experiência política e administrativa para tirar Patu do caos em que se encontra, segundo se diz por lá.

Simplesmente a choradeira está grande. As abelhas estão zoando que o grupo político de Rivelino está tremendo nas bases, ao perceber o que poderá acontecer.

A eleição tem tudo para ser ainda mais arrochada do que no pleito passado e Rivelino poderá perder o cargo.

Patu (RN): prefeito é acusado de “quebrar” comerciantes.


Fracassou o primeiro dia de campanha do prefeito de Patu (RN) e candidato à reeleição Rivelino Câmara. De acordo com informações chegadas ao blogue do Xerife muitos comerciantes da cidade “quebraram” com o  lokdown decretado por ele na fase em que se instalou o novo Coronavírus. 

Agora…

“Como é época de campanha ele liberou tudo”, diz um ex-simpatizante de Rivelino. “Ele prejudicou um monte de comerciante. Agora, como é período eleitoral tudo está liberado na cidade. Mas, o povo vai dar o recado. Ele pode aguardar”, acrescentou.

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Ex-vice Prefeito de Patu, Bebé Moura, anuncia apoio a Kaká e Ronaldo.



O ex vice-prefeito de Patu, na gestão de Lair Solano Vale, Edeládio Benigno de Moura, conhecido como Bebé Moura, com sua esposa Marluce Moura, anunciaram apoio a pré-candidata a prefeita de Patu, Kaká de Bodim e Ronaldo Maia, pré-candidato a vice-prefeito. Bebé Moura foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Patu no período da gestão do ex-prefeito Ednardo Moura (1989-1992). O apoio deles a Kaká e Ronaldo, seguem o exemplo de outros membros da família Moura, como podemos citar Evandro Moura, coordenador Geral da Campanha de Kaká e Ronaldo e Eládio Moura, que há anos militam na política de Patu, bem como outros membros da família que já revelaram que votam em Kaká e Ronaldo, mas, que, não publicaram ainda. A pré-candidata Kaká de Bodim já conversou com Bebé Moura e Marluce, agradecendo o apoio e  disse aos mesmos que, sendo eleita, irá governar para todas as famílias de Patu, sendo uma administração para todos, ouvindo as  pessoas e seus anseios. Kaká disse que seu projeto é coletivo e não pensado por uma só cabeça.

 


terça-feira, 22 de setembro de 2020

Deputada Natália Bonavides e coordenadora do DCE da UFERSA apresentam Ação na Justiça Federal para suspender a nomeação da reitora escolhida por Bolsonaro




A deputada federal Natália Bonavides (PT/RN) e a coordenadora do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Ana Flávia Lira, entraram com uma Ação Popular na Justiça Federal do Rio Grande do Norte para garantir o respeito à democracia interna e contra a arbitrariedade da nomeação feita por Bolsonaro para a reitoria da Universidade, que nomeou Ludimilla Carvalho para o cargo de reitora à revelia da maioria dos votos da comunidade acadêmica, já que a professora ficou em terceiro lugar no processo eleitoral.

Para a deputada Natália Bonavides, a atitude de Bolsonaro e Ludimilla é um ataque contra a democracia e a autonomia universitária, visto que ela não foi a eleita pela comunidade acadêmica. “Na esteira da política de desmonte da educação superior tocada pelo atual Ministério da Educação estão essas nomeações que se caracterizam como verdadeiras intervenções nas instituições de educação. Elas atacam as universidades, com uma política de perseguição institucional e criminalização das entidades estudantis e também docentes. Não admitimos essas práticas e, assim como estamos na luta pela posse do reitor eleito do IFRN, seguiremos atuando para garantir a posse do reitor eleito da UFERSA, que foi escolhido democraticamente pela maioria. A nossa ação ganhou ainda mais respaldo quando o próprio MPF arquivou, hoje, a representação feita pela interventora contra a estudante Ana Flávia na Polícia Federal e apresentou denúncia contra a interventora por denunciação caluniosa”, disse a parlamentar.

A Ação destaca que a reitora assumiu o autoritarismo da sua posse quando, em live realizada no dia 2 de julho de 2020, no perfil de rede social da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica, afirmou que quem não estivesse satisfeito com sua nomeação deveria sair da instituição. “[...] quem não aceitar, saia. Quem não aceitar, deixe de estudar lá. Peça transferência [...]”, disse a sra. Ludmilla Carvalho em vídeo disponível na plataforma YouTube.

Como perceptível, a manifestação da reitora nomeada não ficou apenas nas palavras, tendo em vista a representação criminal apresentada na Polícia Federal contra a estudante Ana Flávia Lira, também autora da Ação juntamente com Natália Bonavides, por críticas feitas à reitora. Esta denúncia foi arquivada pelo Ministério Público e a reitora irá responder a uma ação penal por denunciação caluniosa.

Para os procuradores da República Emanuel Ferreira e Camões Boaventura, "há certeza jurídica quanto à inconstitucionalidade da respectiva nomeação, [...] quem aceita uma indicação nos termos em tela deve estar preparado para responder às duras críticas efetivadas, pois está ocupando indevida e inconstitucionalmente o cargo de reitor". Compreendendo que Ana Flávia não teve a intenção de difamar a reitora, e manifestando a inconstitucionalidade da ocupação do cargo por Ludimilla.

Em petição anexada hoje (22) à Ação Popular, há destaque para o fato do MPF comungar da tese defendida pela parlamentar e por Ana Flávia, de que há desvio de finalidade na nomeação de Ludimilla pois, dentre outras coisas, “o desrespeito à autonomia universitária ocorre exatamente com a finalidade de concretizar um projeto de perseguição ao pensamento divergente do Governo Federal, e não para atender às necessidades da comunidade acadêmica, que escolheu outra pessoa. O arquivamento do inquérito e a denúncia contra Ludimilla são as provas do desvio de finalidade nos atos de nomeação e posse de Ludimilla, os quais se busca anular por meio da ação popular”.

Para Ana Flávia Lira, “a Ação Popular representa um passo importante na luta para garantirmos nossa autonomia universitária, ainda tão frágil e precária nas nossas instituições. O projeto político em curso, que rasga centenas de votos da comunidade universitária para colocar representantes diretos do Governo, em um claro aparelhamento, não pode ser naturalizado. O próprio MPF reconheceu isso ao anular a denúncia da reitora contra mim, o que representou uma vitória do movimento estudantil e uma derrota ao projeto de intervenção do Governo que assola 16 universidades, institutos federais e CEFET. Entretanto, não acaba aqui. Ainda é necessário muita luta política e o DCE Romana Barros segue com o ímpeto, a lucidez e a rebeldia necessária para travar o bom combate”.

A Ação Popular traz informações (em áudios e prints) que mostram que, antes do resultado das urnas, Ludimilla considerava que o desrespeito ao resultado eleitoral seria uma intervenção. Após ver que não foi ela a mais votada, passou a demonstrar alinhamento e disposição ideológica com o Governo Bolsonaro e sua política de perseguição e desmonte do ensino superior. Objetivando, assim, sua nomeação, apesar de não ter sequer alcançado 20% dos votos e configurando a sua nomeação como um atentado à autonomia universitária, nos termos do art. 207 da Constituição Federal de 1988.


Fonte: Mandato Deputada Natália Bonavides.


 

Bruno Campelo Ganha Apoios Importantes e Segue Pré-campanha para Vereador em Patu.


Faltando poucos dias para o início da campanha eleitoral deste ano, o Pré-Candidato a vereador Bruno Campelo, da cidade de Patu tem recebido importantes apoios tanto na zona urbana quanto na rural.

Bruno atualmente é o primeiro suplente de vereador do município e segue na oposição ao lado da pré- candidata a prefeita Kaká de Bodim que também tem recebido forte apoio popular.