domingo, 6 de outubro de 2019

A História de Zé de Pretinho.

José Maia Sobrinho ou Zé de Pretinho como era mais conhecido, nasceu em Natal/RN, em 01 de março de 1944. Filho de Manoel Martiniano Filho e Francisca Alves dos Santos. No ano de 1961 foi residir no sítio Bestas Bravas município de São Fernando-RN onde conheceu a jovem Lídia Santos, filha de Manoel Etelvino dos Santos e de dona Maria Minervina dos Santos. Depois de certo tempo namorou e casou com Lídia Santos que na época tinha a idade de 19 anos. Do enlace matrimonial tiveram oito filhos. Em 5 de fevereiro 1966, pouco tempo depois de casados, o casal veio morar na comunidade rural de Lagoa de Pedras, município de Patu/RN. 
Trabalhando como agricultor na fazenda do desembargador Manoel Maia, o senhor Zé de Pretinho conseguiu com o passar do tempo botar um comércio no sítio que morava e comprou um prédio na cidade de Patu, instalando uma casa de jogo que ficava localizada no Beco da Facada no antigo mercado público de Patu. As primeiras pessoas que trabalharam no jogo pra ele foram Zé Pacará, Zé Redondo, Lourival Rezende e Assis do Barbeiro. No ano de 1980 em virtude da continuação dos estudos dos seus filhos, foi necessário se mudar para a zona urbana de Patu para que os mesmos pudessem estudar. Mesmo assim, continuou trabalhando como agricultor, passando a trabalhar nas terras do Sr. Antônio Suassuna como meeiro, e ainda, nos seus poucos tempos de folga bancava jogo de baralho em seu estabelecimento.
Nesse período, construiu sua casa na rua Lucas Matias, bairro do Quartel, e, com muita luta, criou e educou seus oito filhos, Marluce Maia, Ronaldo Maia, Rubinaldo Maia, Marli Maia, Manoel Etelvino dos Santos Neto, Rivaldo Maia, Maria José Maia e Lindalva Maia, dos quais se orgulhava muito, pois todos eram estudiosos e trabalhadores, conseguindo formar quase todos. 
Em 26 de julho de 2003, Zé de Pretinho sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral), aos 59 anos, fato que provocou a sua morte, deixando uma família grande, bem encaminhada na vida e bastante unida. Possuía grandes amigos, como: Manoel de Lourival, Parriba e Chico Batalha, todos já falecidos. Ele era uma pessoa muito brincalhona e agradava a todos com seu jeito amigo e engraçado de ser. Como homem simples, humilde e muito trabalhador deixou a sua marca na história do município de Patu-RN. 

Fonte das Informações: Dona Lídia Santos, Marli Maia Santos e demais filhos.
Fotos: Cedidas pela família.
Apoio: Aldivan Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário