segunda-feira, 31 de agosto de 2015

UERN propõe ações concretas para ressocialização de apenados

Sistema Prisional


Sistema Prisional
A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) promoveu nesta sexta-feira (28) um encontro com representantes de entidades e instituições para debater o sistema prisional no Rio Grande do Norte com o objetivo de elaborar um plano de ressocialização com a participação das entidades e da comunidade acadêmica.
O encontro é resultado de uma provocação do Ministério Público Estadual feita pelo promotor Antonio de Siqueira Cabral no início do mês de julho, ao reitor Pedro Fernandes, para que a UERN possa desenvolver um projeto de educação para o processo de ressocialização, bem como contribuir para o grave problema da superlotação nos presídios do Rio Grande do Norte, tanto com a redução da pena em um dia a cada três trabalhados, como com a assistência da prática jurídica da Universidade aos apenados.
“Estamos discutindo que tipos de ações podem ser desenvolvidas nesta comunidade. Hoje o sistema prisional é visto como uma carência de espaço físico para se colocar mais presos, e nós precisos ver a questão da ressocialização”, afirmou o reitor Pedro Fernandes.
A iniciativa foi recebida com satisfação pelos servidores do sistema prisional, tanto federal como estadual. “Como pedagoga e atuando no sistema fechado, sinto que o trabalho tem surtido efeito, apesar das dificuldades, começando pelos próprios apenados, que não têm uma perspectiva de futuro após o cumprimento da pena. Temos muitas carências e uma ação contínua junto à Universidade só vem a somar”, afirmou a pedagoga do Complexo Prisional Estadual Dr. Mário Negócio, Íris Lopes.

Mesmo com uma realidade diferente do presídio estadual, a pedagoga do presídio federal, Jussara Pereira, também comemorou a possibilidade de parceria. “Abrindo suas portas e promovendo discussão sobre o sistema, assume uma função muito importante, não apenas para os apenados, mas para os próprios servidores. Precisamos trabalhar todos os agentes envolvidos nesse processo. Vai facilitar o já fazemos e dar visibilidade ao trabalho executado”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário