quarta-feira, 24 de julho de 2013

Notícias para esta Quarta Feira 24 de julho de 2013


Fórum das Organizações Sociais de Patu Participa Hoje do 1. Encontro de Associações do Oeste em Campo Grande-RN

1062566_403712593072007_403311140_n
O Fórum das Organizações Sociais de Patu, através de uma comissão, participará do I Encontro de Associações comunitárias do Oeste. O evento será realizado na cidade de Campo Grande. O professor Aluísio Dutra de Oliveira, coordenador do Fórum das Organizações Sociais de Patu lidera essa comissão que conta com as seguintes pessoas: Agildo da Comunidade Carnaúba, Dona Fátima Oliveira da comunidade Oiticica e Severino Vieira de Melo da Comunidade Castanheiro.  
As associações comunitárias começaram a surgir na região oeste a partir dos últimos 30 anos. Ao longo deste período se tornou a principal porta de entrada das políticas públicas que chegam até a ponta, sobretudo, quando se refere às ações voltadas para a agricultura familiar. O associativismo tirou as famílias rurais do isolamento social e promoveu mudanças culturais que favoreceram as conquistas de direitos. São muitos os exemplos de que através das associações foram conseguidas melhorias nas infraestruturas sociais, nos sistemas produtivos com conversão agroecológica, na segurança hídrica, nas inclusões sociais de mulheres e jovens e todo um conjunto de processos que colaboram para o desenvolvimento sustentável e solidário.
.
A realidade dos municípios oestanos são dezenas de associações comunitárias constituídas e em pleno funcionamento com assembleias mensais e planejamentos anuais. O fortalecimento organizacional e político do associativismo regional pode ser traduzido nas criações dos fóruns municipais que existem em vários municípios do oeste cuja finalidade é a articulação em rede de todas as associações comunitárias com propósito de construção de agendas comuns de lutas e acesso as políticas públicas. Estes espaços ainda estabelecem relações cooperativas com as atividades sindicais e a organicidade da microrregional médio oeste da Articulação do Semiárido Potiguar.
.
Apesar da consolidação das associações e suas contribuições para o desenvolvimento do oeste, a realidade é de grandes desafios colocados diante do movimento associativista. Antes de tudo, as dificuldades legais que vem sendo impostas pelo Estado contra a constituição e o funcionamento das associações tem gerado onerações e complexidades que enchem de burocracias e procedimentos caros para a continuidade das existentes e a criação de novas organizações populares legalizadas. Os problemas começam com os custos de registros cartoriais e seguem até as declarações mensais para a receita federal na qual coloca uma entidade sem fins lucrativos em condições semelhantes às de uma empresa.
.
Um limite do associativismo do oeste potiguar continua sendo o da renovação das lideranças e de atualização da agenda e das formas de lutas populares. É observada uma mudança com maior presença de jovens e mulheres dentre as direções das associações comunitárias, entretanto se percebe que ao longo do tempo os dirigentes permanecem nas maiorias das entidades o que tende ao continuísmo das ações em detrimento do aprofundamento das transformações sociais promovidas e capazes de serem realizadas com as contribuições das associações comunitárias.
.
As temáticas que ganham força nos dias atuais também mobilizam os dirigentes das associações para (re)pensar o papel do associativismo. São questões como convivência com o semiárido, conversão agroecológica, igualdade de gênero e geração, segurança alimentar e segurança hídrica dentre outras que conclama a sociedade civil organizada para um papel mais propositivo de um lado e de promover o aumento da pressão social de outro. Como uma associação comunitária pode se inserir proativamente nestes novos contextos tendo que cumprir a sua missão de organização local, dá conta das cobranças do Estado e executar políticas públicas que cada vez mais passam pelo envolvimento direto dos seus dirigentes ?
.
Diante da realidade posta, o Núcleo Sertão Verde juntamente com o Centro Terra Viva, a COOPERVIDA, Juazeiro e demais entidades da Rede PARDAL se articularam com os fóruns municipais de associações de Campo Grande, Janduís, Caraúbas, Patu, Triunfo Potiguar, Paraú, Upanema e Governador Dix-sept Rosado; e os Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Caraúbas, Upanema, Serrinha dos Pintos e Portalegre; mais os SINTRAFs de Janduís, Apodi e Messias Targino para realização do I ENCONTRO DAS ASSOCIAÇÕES COMUNITÁRIAS DO OESTE que se realizará no dia 24 de julho, em Campo Grande/RN com a finalidade de discutir “Os Desafios do Associativismo do Oeste”.

1º. Encontro das Associações Comunitárias do Oeste
e
3º. Encontro das Associações de Campo Grande

Local: Clube Palhoção, em Campo Grande/RN
Data: 24 de julho de 2013
Temáticas
• Segurança hídrica em condições de semiárido, sistemas produtivos e sementes crioulas.
• ATER e agricultura familiar com foco em gênero e geração.
• Organização e gestão associativa e luta social
Público
200 participantes, sendo 10 por municípios do oeste (Triunfo Potiguar, Paraú, Caraúbas, Portalegre, Serrinha dos Pintos, Upanema, Governador Dix-sept Rosado, Janduís, Apodi, Messias Targino, Pau dos Ferros, Rafael Fernandes, Severiano Melo, Baraúna, Felipe Guerra, Patu, Umarizal, Mossoró e Olho Dagua do Borges) e 10 de Campo Grande.
Realização
• Núcleo Sertão Verde, CTV, SEAPAC, COOPERVIDA, SINTRAFs e STTRs parceiros, Fóruns parceiros e Rede PARDAL.
• Comissão organizadora: NSV, COOPERVIDA, SEAPAC e CTV.

Programação

Manhã
8:00 h – Acolhida, credenciamento de participantes e visitação a I AMOSTRA DAS CONQUISTAS DO ASSOCIATIVISMO DO OESTE
9:00 h – Apresentação cultural com a Filarmônica Antonio da Pastora
9:30 h – Mesa de abertura política institucional
10:00 h – Debate: desafios do associativismo no médio oeste
Expositores/as:
Júnior do Sindicato – Coordenador do Fórum das Associações de Caraúbas
Caramurú Paiva – Núcleo Sertão Verde
João Evangelista – Centro Terra Viva
Lilia Holanda – Militante da Marcha Mundial das Mulheres
Mediadora:
Micilene Vieira – Coordenadora do Projeto ATER/Semiárido (Sertão Verde/MDA)
11:00 h – Plenária
12:00 h – Almoço
.
Tarde
14:00 h – Oficinas temáticas
• GRUPO 01: Segurança hídrica em condições de semiárido. Local: Auditório Pe. Pedro Neefs. Mediação: Fabrício Edimo/Centro Juazeiro
• GRUPO 02: Sistemas produtivos e sementes crioulas. Local: Sala do Telecentro do Sertão Verde. Mediação: Neurivan/COOPERVIDA.
• GRUPO 03: ATER e agricultura familiar com foco em gênero e geração. Local: Palhoção. Mediação: Wberlhane Pereira/STTR Upanema
• GRUPO 04: Organização e gestão associativa e luta social. Local: Palhoção. Mediação: Antonio Filho/CEACRU
15:00 h – Plenária de apresentação de apresentação dos destaques de cada grupo e leitura da “Carta do Associativismo do Médio Oeste Potiguar”
16:30 h – Avaliação
17:00 h – Encerramento.
Fonte: Campograndern.com

Imagens do Lançamento do P1+2 ASA/Petrobras em Areia Branca
 Foi lançado ontem na cidade de Areia Branca o P1+2 Asa/Petrobras, Programa Uma Terra Duas Águas, que visa instalar no semiárido nordestino 20.000 tecnologias de captação de água como: Cisterna Calçadão, Cisterna de Enxurrada, Barreio Trincheira, Tanques de Pedra, Barragens Subterrâneas entre outras. O evento contou com a participação de mais de 2.000 agricultores e agricultoras de vários estados do Nordeste.
O município de Patu participou através de uma representação de 6 pessoas que pertencem ao Fórum das Organizações Sociais de Patu lideradas por Aluísio Dutra de Oliveira e José Marcondes Pereira.  




 Participação especial do Cantor Isaque Galvão vencedor do programa ídolos do SBT
 Dito e o canor Isaque Galvão







Nenhum comentário:

Postar um comentário