quarta-feira, 15 de agosto de 2018

A Viagem de Zé Doido a Brasília


José Ernesto Ferreira, conhecido popularmente como “Zé Doido” foi convidado pelo piloto de Parapente e Asa Delta, André Fleury para participar em Formosa-GO, onde foi realizado no período de 22 a 29 de Julho de 2018 o Campeonato Brasileiro de Voo Livre em Parapente. Zé pegou o voo no Aeroporto Internacional Aluísio Alves em São Gonçalo do Amarante, onde foi conduzido pela equipe da Yasmim Turismo de Patu, nas pessoas de Rezinaldo Ernesto e Cristina.
No dia 20 de julho de 2018, Zé Doido chega ao Aeroporto Internacional  Juscelino Kubitschek em Brasília, na ocasião foi recepcionado por André Fleury e Nani. Nesse dia Zé Doido foi a casa de André e da Lú, ele achou a residência do piloto parecido com um museu e depois disse que era um palácio. Partiram para Formosa de Goiás no mesmo dia, no carro Toyota, chamado de “Lindaura”. Hospedaram-se na casa de Carlos Henrique, junto com a família de Rodrigo Gonzaga (Cláudia, Ricardo, Bernardo e Anna Raio), organizador do campeonato, que foi o primeiro campeonato de voo realizado na cidade de Formosa-GO.
No sábado houve um treino de voo e os pilotos pousaram no aeroporto da cidade de Formosa. No primeiro dia do campeonato de voo livre de parapente (22/07/2018), não houve prova porque estava ventando muito. Eles resolveram  ir para a cachoeira de Indaiá, tentar tomar um banho de rio, mas já estava fechada a entrada e tiveram de voltar para a cidade de Formosa.
No segundo dia de campeonato (23/07/2018), o vento estava mais forte ainda! Não foi possível decolagem, portanto a prova foi cancelada. No terceiro dia de campeonato (24/07), os pilotos conseguiram decolar, mas com muita dificuldade, por causa dos ventos fortes, provocados pela frente fria que chegou na região. Zé Doido ajudava os pilotos na decolagem, mas, a prova foi cancelada também.
Na quarta feira, dia 25 de julho, o vento estava mais fraco e os pilotos decolaram e foram em direção à Cachoeira de Itiquira, o pouso foi na cidade de Arapongas, no Distrito Federal, no grande “milharal”. Zé Doido tirou foto com a repórter Istéfani, que fez voo duplo de parapente com o Fleury, sendo produzida uma matéria que foi exibida no Globo Esporte de Brasília. Zé Doido apareceu na televisão!
Na quinta feira, 26 de julho, Fleury decolou para acompanhar os pilotos na prova. Zé Doido foi junto com o Lú fazer o resgate. Passaram pela Cidade Satélite de Sobradinho, depois pela Granja do Torto, uma das residências oficiais do presidente Lula, no período de seu mandato como presidente. Eles foram receber os pilotos na Esplanada dos Ministérios, foi muito lindo, cerca de 82 pilotos chegaram ao "Goal". Foi a primeira vez que tantos pilotos pousaram ao mesmo tempo na Capital Federal. Zé Doido estava muito feliz. Depois os mesmos foram jantar coma família do Fleury (a Lú, a filha Thábata, o filho Patrick e a filha caçula Rebeca), na casa do Lago Sul. Após o jantar voltaram para Formosa.
Na sexta feira, dia 27 de julho, Zé Doido foi com André Fleury conhecer a rampa de voo livre de Formosa. Passeou pela cidade e conheceu algumas fazendas com muito gado e muitos cavalos. Os pilotos foram para a Esplanada dos Ministérios, chegando 38 ao "Goal", o tempo ficou mais frio e foi difícil chegar ao pouso.
No sábado, 28 de julho, foi realizada a última prova do campeonato. O pouso deveria ser na cidade de Formosa, no aeroporto, mas os pilotos não conseguiram chegar lá. Zé Doido viu os planadores decolar.
Na festa de encerramento, na praça central da cidade, o prefeito e os vereadores foram bem recebidos com palmas, os pilotos vencedores do campeonato receberam prêmios e troféus.
No domingo, 29 de julho, Zé Doido foi conhecer a Praça dos Três Poderes. No Palácio do Alvorada viu os peixes nadando no espelho d'água. Foi também à Torre de Televisão, de onde olhou a cidade de cima, bem alto. Depois foram dormir na Chácara. Ele adorou, mas, passou muito frio. Dormiu na rede ao lado do fogão a lenha, mas não alimentou o fogo, pois não sabia fazê-lo, pois nunca havia lidado com fogo. Patu é muito quente e lá não se faz fogueira, “disse ele”. Zé Doido ganhou uma sela de presente de lembrança do piloto André Fleury, ele disse que era pra andar em sua burra.
Na segunda feira, 30 de julho de 2018, Zé Doido pegou o voo de volta a Natal, tendo sido recepcionado pela equipe da Yasmim Turismo que conduziu  o mesmo a sua terra Patu.
A amizade de Zé Doido com o piloto André Fleury é de longas datas, quando o mesmo vinha a Patu participar de provas ou mesmo praticar o voo livre em parapente na rampa de voo na Serra de Patu. A relação de Zé Doido e André Fleury, aumentou mais ainda quando, em outubro de 2006, aconteceu um acidente grave com o seu amigo piloto na serra de Patu.  André Fleury, da equipe de Paragliders Sol, que já estava acostumado a vir a Patu, foi traído pelos fortes ventos e seu parapente caiu em uma loca de pedra. André Fleury ficou várias horas preso nessa loca de pedra de difícil acesso, sendo achado por Zé Doido, que conhece a Serra de Patu como ninguém, e na oportunidade ficou com piloto horas segurando a sua coluna para que o mesmo não tivesse um dano maior de ficar paraplégico. Todas as formas de tentar retirar o piloto foram pensadas, mas, a família do piloto viabilizou a vinda de um helicóptero da FAB de Recife-PE, tendo sido foi possível fazer o resgate. 
Zé Doido também é considerado pelos pilotos de voo livre como o “anjo da guarda” pois sempre está presente em todos os momentos que os pilotos necessitam, ajudando de forma voluntária e com muito amor porque gosta do que está fazendo. Zé Doido também diz que é um poliglota, pois já aprendeu a falar, Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Italiano e outras línguas para poder se comunicar com os pilotos do mundo todo, que anualmente frequentam Patu na temporada de voo livre. Ele com 65 anos de idade é o principal guia turístico de Patu, considerado pelo amigo, médico e pesquisador social Epitácio Andrade Filho, como GPS humano, pois conhece tudo da Serra de Patu bem como de outros locais do município. Ele guarda em sua residência vários objetos antigos como, bola de ferro da época dos escravos, barras de ferros usadas nos freios do trem, selas, arreios, pedras etc. Zé Doido é um patrimônio vivo e histórico do município de Patu.


Fonte: Diário de Viagem de Zé Doido a Brasília - André Fleury.
A Folha Patuense.
Fotos: Campeonato Brasileiro de Voo Livre - Formosa - GO.


  


















Nenhum comentário:

Postar um comentário