quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Histórias da Cacimba do Povo e do Cacimbão de Juarez em Patu

Cacimba do Povo

O sertão nordestino há séculos que convive com a situação de estiagem. Em nossa história existem períodos chuvosos, mas também longos períodos de estiagem registrados ao longo de vários séculos, bem como registros de poucas chuvas, tudo isso ocasionando problemas graves de falta de água para a sobrevivência da população. As precipitações pluviométricas anuais, em média, giram em torno de 500 a 600 milímetros sendo que em muitos casos não proporcionam acúmulo de água nos reservatórios.  Muitas são as alternativas para a captação de água para amenizar a situação do povo. No município de Patu, em sua história, duas tecnologias de captação de água foram marcadas como alternativas para matar a sede da população. Uma dessas tecnologias foi à chamada construção da "Cacimba do Povo" e a outra o "Cacimbão de Juarez".

Segundo informações do historiador Patuense, Petronilo Hemetério Filho, a Cacimba do Povo não se tem registro oficial de quando foi construída, talvez no ano de 1.900, época da existência de um dos administradores dessa terra, o senhor Raimundo Basílio. A Cacimba do Povo fica localizada no corredor denominado de Recreio que fica localizado por trás do Hospital Maternidade Dr. Aderson Dutra "Hospital da APAMI", região que na época se concentrava um grande lençol freático disponibilizando água com fartura por longas décadas. A Cacimba do Povo matou a sede de muita gente em Patu, onde todos os dias homens, mulheres e crianças buscavam água utilizando galões, baldes, tambores, roladeiras, depósitos transportados no lombo de jumentos, bicicletas e outros transportes.
Moradores antigos da cidade de Patu como o senhor Miguel Lira, Antônio Rosa, Paulo Godeiro, Nival Lira e outros informaram que seus pais e avós já contavam histórias sobre a Cacimba do Povo. Nos anos 80 o senhor Petronilo Hemetério Filho, na época, secretário de Obras do Município de Patu, na Gestão do então prefeito Ednardo Moura, construiu uma caixa D água no local para facilitar o transporte realizado diariamente pela população que fazia fila em carroças de burros para pegar o precioso líquido.
Hoje a cacimba do Povo está desativada, talvez ainda tenha água, mas, em pequena quantidade, pois muitos poços e outras cacimbas foram construídos naquele local para consumo próprio e comercialização, consumindo o seu lençol freático. Ao lado da Cacimba do Povo existem várias árvores. O senhor Genival Cosmo dos Santos, conhecido como Genival do Armarinho relata que, quando criança sofreu uma pisa da sua mãe que soube que ele estava na Cacimba do Povo roubando manga para comer, fato esse que nunca esqueceu.

Cacimbão de Juarez

Outro sistema de captação de água em Patu muito conhecido da população é o chamado "Cacimbão de Juarez" localizado no bairro da estação, que pertenceu ao ex-vereador Juarez Duarte. Segundo relato de seu filho Jair Duarte o cacimbão surgiu por que seu pai comprou um grande lote de terras localizado no bairro da estação para a construção civil de muitas casas e para isso teve que construir no local um cacimbão que seria para a retirada água para as obras em construção na época. Com a construção do cacimbão muitas pessoas passavam e pediam para tirar água e o senhor Juarez sempre permitia. A prática se tornou uma constante e outras pessoas também foram pedindo, se tornando uma rotina onde não havia mais a necessidade de pedir permissão de retirar água, pois, sabia que era liberado, se tornando um bem público. Hoje muitas pessoas ainda retiram água do cacimbão, servindo também de lavanderia pública, onde muitas mulheres aproveitam para lavar roupas já que no bairro da estação a água não chega às torneiras das residências, bem como em muitos bairros da cidade.  O cacimbão atualmente é público pertencendo ao poder público municipal.
É importante o registro desses dois instrumentos de captação de água que pertencem ao município de Patu, pois fazem parte da nossa história não podendo ficar no esquecimento e sim em nossa memória como um bem público que serviu e serve a nossa população. 

 Transporte de água em galões e lata na cabeça

Transporte de água em lombo de jumentos

 Galões nos ombros

 Em Tambores

 Sofrimento nos períodos de estiagem

 Transporte de água em Roladeiras

 Visita de Nival Lira a Cacimba do Povo ...

 Com o Prof. Aluísio Dutra 

 Nos anos 80 o poder público municipal de Patu construiu ao lado da Cacimba do Povo uma caixa d´água
 O senhor Miguel Lira morador antigo da cidade de Patu 
 Zilar Rocha e Neto Dutra falaram também sobre a Cacimba do Povo

 Senhor Antônio Rosa lembrou dos benefícios que a Cacimba fazia para a população sofrida 

 Paulo Godeiro relata que seu pai e avós falavam do grande bem dessa Cacimba para a população 

 O historiador Petronilo Hemetério Filho informou que não existe registro oficial de quando a Cacimba foi construída. 
 Carroceiro que ainda hoje pega água do Cacimbão de Juarez

Jair Duarte, filho do ex-vereador de Juarez Duarte, contou a história de como surgiu o Cacimbão de seu pai.





Nenhum comentário:

Postar um comentário