quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

A História de Pedro Ilo.

Pedro Pereira da Silva, mais conhecido por Pedro Ilo,  nasceu em Patu no dia 28 de junho de 1944, noite de São Pedro, por isso o nome Pedro. Filho de Maria Isabel da Silva, mais conhecida como Maria de Zé Ferrina, mãe biológica. Como sua mãe era muito jovem e solteira, logo que nasceu foi dado para adoção ao casal Raimundo e Palmira, pois nunca tiveram filhos biológicos. Aos três meses de idade o seu pai adotivo faleceu (assassinado) e sua mãe adotiva casou-se novamente com Sr. Rafael Jácome, que ajudou a criá-lo. Estudou até o 5º ano primário na Escola Estadual João Godeiro, mas, sabia ler, escrever e dominava as quatro operações. Tinha seis irmãos por parte de seu pai biológico, 5 irmãos por parte de sua mãe biológica. Aos quinze anos de idade foi morar um certo tempo com seu pai biológico Sr. Inácio Gabriel da Silva, para trabalhar, mas passou pouco tempo. Começou a trabalhar muito jovem ajudando ao Sr. Luiz do Foto (Luiz Nunes) como fotógrafo em 1962, depois se tornou balconista da Casa das Peças do proprietário Luiz Nunes da Silva (Luiz do Foto). Tornou-se fotógrafo, o qual era chamado durante o período de eleições para trabalhar para os políticos de Patu e cidades vizinhas. Durante um período foi trabalhar em uma mina na Região fazendo fotos, e revendendo peças para o Sr. Luiz Nunes. Foi vendedor também de quadro de imagem de Santos.
No dia 19 de abril de 1964 casou-se com Maria Alves Pereira e tiveram 4 filhos (Das Neves, Socorrinha, Hélio e Rafaela) e três netos (Jara, Jorge e Dalvanira). Quando se casou estava desempregado, então resolveu colocar uma oficina para consertar bicicletas. Depois voltou a trabalhar como balconista na Casa das Peças.                 Em sua residência havia um lugar chamado de Câmera Escura, com vários equipamentos em que ele e sua esposa faziam as revelações das fotos que tirava. Trabalhou na Prefeitura de Patu, na gestão do prefeito  João Pereira de Araújo, como vigia da emergência, na seca de 1970 e depois como cobrador de impostos. Pedro Ilo depois de algum tempo voltou a trabalhar como balconista da Casa das Peças de Luiz do Foto. Colocou um pequeno comércio em sua residência no ano 1982, para sua esposa e filhos, com a venda de cigarros, bombons e revendendo revistas, a qual era única na cidade, todos os dias suas filhas faziam as entregas nas residências das pessoas que faziam as encomendas, como também vendiam de porta em porta na cidade. Aos sábados na feira livre ele vendia seus produtos em uma banca no mercado público, depois colocou uma cigarreira na calçada do Prédio Castelo Branco para seu filho tomar de conta, mas aos 16 anos o mesmo  veio a faleceu vítima de acidente de moto na cidade de Almino Afonso. Em 1984, foi reconhecido oficialmente como filho de Inácio Gabriel Inácio da Silva, recebendo uma  herança e com ela colocou um comércio  e comprou sua casa própria. Também comprou um prédio em Caraúbas para colocar uma casa de peças, mas infelizmente desistiu do negócio e colocou um depósito de bebidas, depois transformou em uma bodega e também bar, o qual sua esposa trabalhava com ele. Nesse mesmo tempo voltou a ser balconista da Casa das Peças por mais um período. Algum tempo depois o comércio tornou-se apenas uma bodega, conhecida como a “Bodega de Maria de Pedro Ilo” ao lado de sua residência, passando a ser apenas comerciante. Sofreu um acidente de moto no contorno de acesso à cidade de Mossoró, no qual passou um bom tempo para se recuperar. Sempre gostou muito de beber o que o tornou vítima do alcoolismo, fato esse que começou a ter muitos problemas financeiros no comércio devido a gastos excessivos e sem explicações a família. No dia 22 de setembro 1999, cometeu suicídio, fato que deixou sua família bastante abalada. Pedro Pereira da Silva ou simplesmente Pedro Ilo, sempre foi um homem de muitos amigos, brincalhão e  pai  carinhoso e presente, e um avô muito amoroso, deixando assim, com a sua partida um vazio muito grande para todos que o conhecia. Essa foi a história do senhor Pedro Ilo, bastante conhecido em nosso município, antigo funcionário da Casas das Pecas de Luiz do Foto e comerciante, deixando assim o seu registro na história do nosso município. 

Reportagem de Aluísio Dutra de Oliveira.
Texto e fotos: Socorro Castro “Socorrinha"


Pedro Ilo

Pedro Ilo com esposa e filhas

Pedro Ilo e sua mãe Biológica Maria de Zeferina


Pedro Ilo com Socorrinha e Das Neves.

Pedro Ilo com os netos e netas

Pedro Ilo no Santuário do Lima

Palmira, mãe adotiva
Inácio Gabriel - pai biológico




Nenhum comentário:

Postar um comentário