sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Docentes da UERN avaliam movimento grevista e continuam na luta contra atrasos salariais


Professores e professoras da UERN  se reuniram em assembleia na manhã de hoje (04) para avaliar o movimento paredista na universidade e encaminhar estratégias de luta para fortalecer a greve.
Os servidores destacaram a  importância da ação unificada junto ao Sindsaude, que está em greve desde do dia 13 de Novembro, e a necessidade de aglomerar  um maior número de professores e professoras às ações. A luta contra os atrasos salariais continua sendo a principal pauta dos servidores e servidoras, que ainda não receberam os salários de novembro, dezembro e o 13º.
A Diretora da ADUERN, Ana Lúcia Gomes, rememorou a ocupação na Governadoria e na Secretaria de Planejamento (SEPLAN). Ela lembrou que o movimento foi muito vitorioso e provou a força e resistência dos trabalhadores e trabalhadoras do Estado. Ana Lúcia ponderou que novas ações de greve precisam ter maior participação da categoria, para que possam garantir resultados positivos.
A professora Ivonete Soares destacou a importância da realização de assembleias periódicas para avaliar a greve, permitindo que toda a categoria possa debater a conjuntura política colocada e opinar sobre os rumos do movimento.
A diretora do Sindsaude, Rosália Fernandes, participou da assembleia e  destacou o ganho político que tem sido a greve unificada entre UERN e Saúde. “Esta greve tem mostrado a capacidade de luta que temos se estivermos juntos. Precisamos ampliar isso, convocando as demais categorias a parar este Estado em uma grande greve geral que garanta nossos salários em dia”, avaliou.

ESCOLHA – A Assembleia também escolheu delegados para o 37º congresso do ANDES/SN. Através de votação, foram escolhidas como titulares os docentes Rosimeiry Florêncio e Lemuel Rodrigues. Na suplência foram definidos os nomes de Luana Paula, Janaina Dantas, Ana Lúcia Gomes, Zacarias Marinhos e Josenildo Morais.
Fonte: ADUERN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário