quinta-feira, 9 de março de 2017

Mensgem: Dia Universal da Mulher


A REFLEXÃO MASCULINA DO PRESIDENTE DA ASCRIM
EM HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER !
PARABÉNS A TODAS MULHERES DO MUNDO!
  “TOTA DIE UNIVERSALIS FEMINA”
"TODO DIA É  UNIVERSAL DA MULHER"
FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO
- PRESIDENTE DA ASCRIM -
“EXCERTOS DO CONTO "QUINTESSÊNCIA MULHER"
(livro de SILVA NETO)”
(...)
TEOREMAS DA PRISIONEIRA DO AMOR

Texto que romanceia a Psicopatologia da mulher, uma visão machista, como forma de erradicar, na ótica Sociológica, o elo perdido entre o êxodo da prisão e o exílio de liberdade da mulher, imposta pelo homem. !
NUMA SIMBIOSE HOMEM X MULHER, ESTA, ECLETICAMENTE PRECONIZA  EMANCIPAÇÃO DIALÉTICA ANTERIOR AO MACHISMO:
" ... – Não sou casulo! Não sou caça! Por que me confundes com utopia, mito e mística? Pensas que sou escrava, seu endeusado rato imberbe! Sou mulher e vivo para ser mulher! És tão convencido de tua hipotética sabedoria que te confundes em teu próprio contrassenso! Chego a crer que não sabes que foste gerado de uma mulher!
(,,,)
 “Ora, tanto o servo quanto o rei aguardam o momento certo de servir e servir-se. Como signatário daqueles personagens não contrariou quaisquer arrazoamentos; não quebrei a magia encantada que se formara entre nós dois. Um amigo não se justifica com o poder, unicamente, da cura, se impõe externando confiabilidade, eliminando desconfianças, reconstruindo falibilidades. Tínhamos um acordo tácito: APENAS UM MINUTO PARA UMA VIDA SER TOCADA, APENAS UMA ETERNIDADE PARA UMA MULHER SER AMADA.”
(...)
Observei a agonia e a esperança se fundirem, quais forças opostas congruentes, paradoxais, criando novos blocos de sentimentos; fusão estadista, urdida no descrédito e na penúria, como fogueira queimando a felicidade. Nessa alquimia, o caráter inusitado das novas emoções a fez debater-se; inconsciente ou conscientemente ela colocava-se no plano da tese e da antítese das deusas amantes.
“era uma videira, não uma mulher da vida”! Encheu-me de pavor, a ideia de vê-la definhar, mitigando à falta de afeto. Essa carência assustou-a, fê-la emigrar em nova viagem para os Alpes andinos."
(...)
De volta ao Brasil, resoluta, contou-me dos dias e noites infindáveis; dormia cansada e acordava exausta, sem fogo para queimar o seu frio, sem corpo para aninhar o seu calor; entrava e saia do lar, ainda prisioneira da maléfica obcecação de querer ficar para não fugir; disse-me, quantas vezes não olhou para o homem que lhe fazia companhia, mas estava sempre só, sem o amparo da legítima união que imanta a vida de um casal.
Descobriu, em tempo, que as mentiras expiadas não se afinavam com as verdades expiradas.
Refletiu sobre a coragem de ceder, mas desfaleceu no furor das traições sujas. Ousou testemunhar que a fonte do amar deixa de ser cristalina quando torna impura a água que a expele.
“Andei sobre as veredas do inconformismo, onde o princípio sugere viver metade da vida com base no infinitismo do mundo. Um corpo delira nas mãos de quem semeia a libertação, vence o vendaval e se protege no beijo da borboleta.” Fi-la ouvir: A TUA ÁGUA E O TEU FÔGO MOLDAM E TRANSFORMAM CADA PENSAMENTO DIAMANTINO DO TEU AMOR” (SN). (...)

SILVA NETO, autor do texto(integra no LIVRO QUINTESSÊNCIA MULHER)
Enviado pelo professor, escritor, pesquisador do cangaço e gonzaguiano José Romero de Araújo Cardoso.
http://blogdomendesemendes.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário