sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Especial: Artigo Científico

A  ética nossa de cada dia

Marcela Ferreira Lopes


Em um primeiro momento a palavra ética é originada do grego – ethos - que significa modo de ser, caráter. No latim significa costumes que posteriormente derivou-se a palavra moral.
Ética constitui-se em um conjunto de princípios, valores e condutas que rege todo ser humano, independente de cor, raça ou credo. Ética e moral não são a mesma coisa, porém são correlatas; enquanto que ética é o princípio, moral constitui a prática deste princípio. Pode-se perceber que o interesse pela ética sempre foi de grande relevância na história da humanidade. Atualmente aparece em constantes discussões em consonância com a realidade social na qual o país se apresenta. A ética é posta em destaque, principalmente nas mídias, quando o assunto é corrupção, transgressão das leis, roubo do patrimônio público e seu uso/prática se faz cada vez mais pertinente, o que nos ajuda a sobreviver socialmente. Para que isso ocorra é preciso que haja respeito, caracterizado como um princípio básico. Não existem pessoas sem ética. Na realidade existem pessoas antiéticas, aquelas que são contrárias a uma ética compartilhada ou aceita por um determinado grupo.
Mediante a isso estamos em constantes dilemas, caracterizadas como pilares fundamentais da ética: “Há coisas que eu quero, mas não devo. Há coisas que eu devo, mas não posso. Há coisas que eu posso, mas não quero” (CORTELLA, 2012, p. 107). Nas palavras de Cortella temos grandes dificuldades para responder estas e outras indagações e, mais ainda, a juventude que vive o presente na efervessência do momento, confundindo muitas vezes desejos com direitos. Esses momentos são constituídos de erros e acertos, quando se aprende através de constantes socializações.
Partindo desse princípio, a escola tem um papel fundamental na formação do ser humano. A ética, ora apresentada como tema transversal, deve urgentemente ser posta na forma de disciplina, para que sejam enaltecidos os valores humanos presentes na sociedade, bem como deve estar presente através de um código de ética na formação de professores. De acordo com Paulo Freire (1996, p.52) “só os seres que se tornaram éticos podem romper com a ética”. Por isso é de importância ímpar tomar, a todo o momento, atitudes de respeito, cooperação e solidariedade para a construção significativa de uma sociedade justa, igualitária e democrática.
  Nesse sentido a ética está presente de forma constante e indissociável em nossas vidas. Na atual sociedade que se apresenta marcada principalmente pela competitividade, pelo individualismo, há uma falta de valores e condutas que priorizem o bem estar coletivo proporcionando assim, uma evolução de pensamento de todos os indivíduos que constituem qualquer determinado segmento. É preciso que cada pessoa reflita sobre o real papel da ética na vida de cada um e na sociedade em geral.  
                                                                                               
Referências:

CORTELLA, Paulo Sérgio. Qual é a tua obra?: inquietações propositivas sobre gestão liderança e ética. 19. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.  
PAULO, Freire.  Pedagogia da autonomia: saberes necessários á prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

Marcela Ferreira Lopes. Geógrafa-UFCG/CFP. Especialista em Educação de Jovens e Adultos com ênfase em Economia Solidária-UFCG/CCJS. Graduanda em Pedagogia-UFCG/CFP. Membro do grupo de pesquisa (FORPECS) na mesma instituição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário