terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Especial


Dr. EPITÁCIO DE ANDRADE – ”Ser bom ainda é o melhor”

(1928-1993)

Nascido em Belém do Brejo do Cruz, no vizinho Estado da Paraíba, em 18 de outubro de 1928, Doutor Epitácio de Andrade era filho de Hostílio Coriolano de Andrade (Seu Nem da Gangorra) e Dona Francisca Felismina de Andrade. Tinha 15 irmãos e desde infância tinha vínculos com o Rio Grande do Norte. Era afilhado do Ex-prefeito de Patu e de Almino Afonso Senhor Lauro Maia.
Dr. Epitácio


Adolescente migrou para Mossoró e depois Fortaleza, capital do Ceará, para cursar o ciclo ginasial. Aprovado no vestibular em Salvador na Bahia ingressou na Faculdade de Farmácia, que na época era agregada ao curso de medicina, vindo a concluir o curso superior no início dos anos cinqüenta do século passado, juntamente com os amigos Lavoisier Maia Sobrinho e Cândido Nóbrega de Holanda, mais tarde cunhado, após casamento com a professora Lourdinha Holanda.

Farmacêutico, estagiou no Laboratório Carlos Chagas, no Rio de Janeiro/RJ e no Instituto Butantã, em São Paulo/SP, para depois se fixar em Patu/RN, onde montou farmácia comercial e de manipulação de medicamentos, numa época em que se iniciavam na região, as práticas científicas dos cuidados à saúde, sendo um dos pioneiros neste campo de atuação.
Com Vingt-un Rosado

Do casamento com Dona Lourdinha resultaram 04 filhos: a também farmacêutica industrial e terapeuta holística Lilian Holanda, atualmente plantonista da farmácia do Hospital Militar Cel. Pedro Germano em Natal/RN; o médico psiquiatra e sanitarista Epitácio de Andrade Filho, que pertence ao quadro de oficiais de saúde da Polícia Militar do Rio Grande do Norte; o comerciário Cândido Nóbrega Sobrinho, casado com a patuense Sonaly Fernandes, filha do ex-vereador Oscar Leite, pessoa que em vida foi grande amigo de Doutor Epitácio; e Indalécio Andrade, geógrafo e educador de rua da Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura Municipal de João Pessoa, capital da Paraíba. 
Doutor Epitácio Andrade foi secretário de administração de Patu durante 25 anos, nas gestões dos prefeitos Antônio Suassuna, João Pereira de Araújo (duas gestões), Lourival Rocha e Zequinha Tavares. Foi secretário de Administração de Messias Targino/RN na gestão do Prefeito Inácio Pereira, no início dos anos setenta do século passado.

Em Patu, exerceu importantes funções e projetou sua liderança para o estado. Dirigiu o Ginásio Municipal “Francisco Francelino de Moura” por oito anos. Foi presidente do Rotary Club e ajudou a organizar esse clube de serviços em outras cidades. E em 1982, elegeu-se prefeito constitucional do município, assumindo o mandato em primeiro de janeiro de 1983, mesmo dia que o filho que herdou seu nome, foi aprovado no vestibular para o curso médico na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa.
Com o Professor José Joaquim

A gestão de Doutor Epitácio de Andrade a frente do município de Patu transcorreu no período de 1983 a 1988, e se constituiu num marco desenvolvimentista para a cidade. No campo educacional, o campus universitário foi viabilizado, com a construção de 03 salas de aulas, construção da quadra de esportes, apoio ao dirigente Professor João Ismar de Moura e demais professores, além da oferta de 50 bolsas de estudo para estudantes universitários de Patu, que hoje compõem a massa crítica da cidade, representada pelos principais empresários e formadores de opinião do município.

Em brasília
Ainda no setor de educação, apoiou a implantação da pré-escola; implantou a oficina-escola, e convidou o folclorista João de Artur e sua esposa Dona Rita, para serem os primeiros instrutores, ministrando o curso de confecção de estofados; construiu a escola municipal Raimundo Nonato, homenageando seu amigo e professor, autor de “Jesuíno Brilhante – O Cangaceiro Romântico” e inaugurando com a presença do intelectual Vingt-un Rosado; construiu 06 escolas rurais; trabalhos desenvolvidos numa parceria constante com os professores e alunos, sob a liderança dos professores Isabel Saraiva Forte, Francisco Figueiredo (Bodinho), Salete Amorim Belo, Elizabete Nunes, José Joaquim da Silva e filhos, Francisca Câmara, Raimunda Cleonice Dantas, Dona Carmelita Rocha e tantas outras.


Na saúde construiu o Centro de Saúde, que na gestão seguinte foi transformado no Hospital Municipal, dando seguimento a construção da rede básica de saúde no município, iniciada com o Centro de Saúde “Pe. João Maria”, onde envidou esforços para a contratação efetiva do médico Ednardo Benigno de Moura. Durante toda gestão, garantiu transporte para o deslocamento dos casos de maior gravidade para serviços de referência em Mossoró e Natal, além do acesso geral a dispensação de medimentos.


No tocante a questão cultural, promoveu um salto qualitativo no município: idealizada pela primeira-dama Lourdinha, em parceria com o então pároco Silvano Schoemberg, realizou a primeira Feira da Cultura, assim como as 05 subsequentes, conseguindo mobilizar toda a comunidade em torno do evento; Possibilitou o lançamento do livro de poesia concreta “Artimim Artimanhas”, de Ricardo Veriano; Apoiou culturalmente em parceria com a Fundação José Augusto, a tiragem de cinco mil exemplares da Revista Jesuíno Brilhante, em História de Quadrinhos, de autoria de Emanoel Amaral e Alcides Sales; Contribuiu para transformar as Jornadas Universitárias de Patu, no maior evento sócio-cultural do médio-oeste potiguar.


Inauguração do Açude do Tourão


Para enfrentar a maior seca do século XX, Doutor Epitácio melhorou a infra-estrutura do município: construiu em parceria com o governo estadual na gestão de José Agripino Maia e com o Exército Brasileiro, o Açude do Tourão, maior reservatório de água do município, com capacidade de armazenar 12 milhões de metros cúbicos; pavimentou ruas, totalizando 70 mil metros quadrados de calçamento; construiu as praças “Pe. Henrique Spitz” e “Joaquim de Oliveira Rocha”; Construiu a lavandeira pública; Colaborou com a assistência prestada a cerca de 900 cossacos, que trabalhavam nas obras do programa de emergência, num trabalho comandado pelo hoje Coronel Médico da Polícia Militar Silvério Soares Monte; ainda sobre o enfrentamento à seca, garantiu a distribuição de gêneros alimentícios aos flagelados por meio de parceria com a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (CIDA), na época gestada pelo hoje Deputado Estadual José Adécio.


Desenvolveu a política habitacional no município: em parceria com a Secretaria Estadual do Bem-estar Social, na época conduzida pela Professora Vilma de Faria, construiu 84 casas populares, no Bairro que hoje leva seu nome, projeto do vereador João Fernandes Dantas, seu aliado político desde datas que remonta à liderança do seu amigo Francisco Dantas; Foram construídas também, no mesmo bairro, 50 casas em regime de mutirão; além de 250 unidades sanitárias domiciliares nos bairros da cidade.


Na gestão de Doutor Epitácio Andrade, foi estabelecida uma grande parceria com a Companhia de Polícia Militar, por meio do comandante José Humberto de Lima, garantindo apoio e assistência à saúde dos policiais para se fixarem na cidade, possibilitando a diminuição dos indicadores de violência, constituindo-se num dos períodos mais pacíficos da história de Patu.

Dr. Epitácio foi um grande articulador político. Dedicado aos amigos e aliados, cordial com os adversários. Durante sua gestão, trabalhou harmonicamente com a Câmara de Vereadores, buscando sempre o entendimento político com os presidentes: Mário Solano, Raimundo Gomes e Tarcísio Moura, sem deixar de reconhecer a independência dos poderes constituídos.


No dia primeiro de janeiro de 1989, com muita hombridade, passou o comando do município de Patu ao Médico Ednardo Moura, de quem foi paciente, passando a viver em João Pessoa/PB, aonde no dia de natal (25 de dezembro) do ano de 1993, veio a falecer. A sua gestão a frente do município teve como lema: “Ser bom ainda é o melhor”, princípio que norteou toda sua vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário