sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Notícias Sexta Feira 22 de Fevereiro de 2013


Blogueira Cubana, Yoani Sánchez, Concedeu Entrevista Exclusiva ao Blog do Campelo
Yoani Sánchez é uma filóloga e jornalista cubana. Licenciada em Filologia em 2000 na Universidade de Havana, alcançou fama internacional e numerosos prêmios por seus artigos e suas críticas da situação social em Cuba sob o governo de Fidel Castro e de seu sucessor, Raúl Castro.
É conhecida por seu blog Generación Y, editado desde abril de 2007, com dificuldades, porque não pode acessá-lo de casa, e por isso definiu-se como uma blogueira "cega". A revista Time a incluiu em sua lista de "cem pessoas mais influentes de 2008", dizendo que "debaixo do nariz de um regime que nunca tolerou dissensão, Sánchez exerce um direito não garantido aos jornalistas que trabalham com papel: "liberdade de expressão".
Em sua passagem tumultuada pelo Brasil, concedeu entrevista coletiva na Câmara de Dirigentes Logistas de Feira de Santana, onde respondeu diversas perguntas de jornalistas do mundo inteiro.
O Blog do Campelo na ocasião representado pelo jornalista Rafael Velame conseguiu uma entrevista exclusiva com a blogueira. Enviei por e-mail cinco perguntas ao colega jornalista e as respostas seguem na íntegra na entrevista.
Vale lembrar que na coletiva, a imprensa só poderia fazer três perguntas à blogueira, e as que foram enviadas por mim, foram respondidas fora da coletiva.
Desde já agradeço ao colega jornalista Rafael Velame que intermediou o acesso do Blog do Campelo à blogueira e ao primo e patuense Dr. Getúlio Barbosa, um dos patrocinadores da vida de Yoani ao seu Estado.
 Confiram
O que você achou das manifestações contrarias na sua chegada ao Brasil e especificamente em Feira de Santana?
YS- Queria que no meu país essas manifestações fossem possíveis. São um símbolo de pluralidade e de democracia quando são pacíficas. Quando se tornam agressivas são um símbolo de intolerância 
 Você considera que o regime ditatorial de Cuba está próximo do fim?  
YS- É possível, mas eu penso que agora a pressão fundamental que há sobre os ombros de Raul Castro para acelerar o processo de mudança é sua própria vida. Seu tempo está passando, e do seu irmão já passou. É uma questão de data, é uma questão de dizer que dia é. Raul Castro é um homem octagenário. Seu tempo está passando e não há um sucessor. 
O que você acha do bloqueio econômico dos EUA ao seu País? 
YS- Todos sabem que sou contra o bloqueio. Cuba não é um partido, não é uma ideologia, não é um homem. Cuba é a diversidade, com muitas flores. Nas ruas de Havana, você vai encontrar pessoas que acham necessário manter o bloqueio e outras que acham que ele precisa acabar. Outros, como eu, acham que é preciso acabar com isso. 
A atual geração cultural cubana pode ser considerada perdida ante o sufoco da ditadura?
YS- A mudança fundamental para Cuba hoje é a que está no interior dos cidadãos. Uma mudança reflexiva para tolerância, para democracia e pluralidade. Isso me dá muita esperança em saber que uma geração de cubanos, a geração dos meus filhos, meus netos, encontrará um país mais plural. 
Qual sua opção religiosa?
YS- Não tenho religião, sou agnóstica.
Qual sua mensagem ao povo do Rio Grande do Norte através do Blog do Campelo? 
YS- Aproveitem a democracia do seu país. A liberdade é a coisa mais valiosa que se tem. Abraço a todos. 
Agradeço mais uma vez à blogueira Yoani Sánchez, ao colega jornalista Rafael Velame e ao patuense Dr. Getúlio.

Fonte: Blog do Campelo



EX-COMBATENTES celebram os 68 anos da tomada de Monte Castello

Em 21 de fevereiro de 1945, os então combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB) tomaram de assalto o Monte Castello, marcando a presença do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Hoje, 68 anos depois do marco histórico, a data é motivo de festa e comemoração para os ex-combatentes de Mossoró.

Os ex-combatentes relembram com orgulho essa fase importante da história do país. Para manter viva a memória deste episódio, os eternos soldados guardam objetos e lembranças daquele tempo no Museu dos Ex-Combatentes.

O acervo é composto por autógrafos, publicações, medalhas, capacetes, granada, espada e diversos utensílios que remetem à luta dos mossoroenses na 2ª Guerra Mundial. O museu também conta com exposição de fotos dos expedicionários vivos e mortos.

A Batalha de Monte Castello foi travada ao final da Segunda Guerra Mundial, entre as tropas aliadas e as forças do Exército alemão, que tentavam conter o seu avanço no Norte da Itália. Ela arrastou-se por três meses, de 24 de novembro de 1944 a 21 de fevereiro de 1945, durante os quais se efetuaram seis ataques. Nesse combate, milhares de soldados da FEB tiveram grande importância nos campos de batalha, por isso a data é comemorada fervorosamente pelos ex-combatentes que atuaram no conflito.

A batalha teve a participação de 228 soldados mossoroenses; destes, somente oito estiveram nos campos de batalha em solo italiano, e os demais foram combatentes no litoral do Estado.

Com informações de O Mossoroense/ via Barriguda News.
Foto: WEB

Registro
José Dutra de Oliveira, ex-combatente da 2a. Guerra Mundial.
Pai do Professor Aluísio Dutra de Oliveira



Pôla Pinto participou  de atividades em Natal.
Na última quarta-feira (20), o vice-prefeito e presidente  do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Sintraf) de Messias Targino,  Pôla Pinto (PT),  esteve em Natal  participando  de  duas atividades.

Pela manhã em  seu primeiro  compromisso Pôla Pinto,   participou de um encontro referente ao projeto Mova-Brasil,  do qual  o sindicato é parceiro em Messias Targino desde  2005. “ Foi um encontro importante por que definimos o papel  de cada parceiro  no projeto.
Deste encontro estiveram presente representantes  dos município de Messias Targino, Janduís, Campo Grande, Upanema, Angicos e Natal.

Já na parte da tarde, Pôla Pinto,  participou  a convite  do deputado estadual Fernando Mineiro  (PT), de uma  Audiência Pública, Pela Criação da Lei do Fundo Estadual de Economia Solidária do RN,na Assembleia Legislativa,  chamada pelo Mandato do deputado estadual Fernando Mineiro e Fórum Potiguar de Economia Solidária.

Mineiro defendeu que a economia solidária se transforme em “Política de Estado”, o que, segundo ele, só será possível com a criação do Fundo Estadual, como previsto na Lei 8.798/2006, de autoria do parlamentar. “É necessário fazer a economia solidária acontecer de verdade no Rio Grande do Norte. Isso só será possível transformando-a em Política de Estado, com a criação do Fundo Estadual da Economia Solidária”, argumentou.

A representante do Fórum Estadual da Economia Solidária, Lidiane Freire, disse que a campanha pela criação do fundo é uma demanda do RN. Ela destacou que, sem orçamento, é impossível consolidar uma política pública para o setor. “Esse é o momento de sensibilizar o governo estadual para efetivar a política estadual de economia solidária, através da criação do Fundo Estadual”, enfatizou.

Lidiane, juntamente com outros representantes de movimentos ligados à economia solidária, fez a entrega simbólica ao secretário Luiz Eduardo Carneiro (Sethas) das 587 assinaturas institucionais em defesa da criação do Fundo Estadual.

O secretário afirmou que iria trabalhar internamente no governo para que o projeto que cria o Fundo Estadual da Economia Solidária seja encaminhado em até 15 dias à Assembleia Legislativa. Ele pediu apoio ao deputado Fernando Mineiro na tramitação da matéria nas comissões da Casa.

Pôla Pinto ainda esteve na sede  da CONAB-RN,buscando agilizar a liberação  de projetos  para o município  de Messias Targino, que foram apresentados pelas as Associações Rurais do município.

Lula comemora “momento histórico para a história dos partidos populares” em SP


O ex-presidente Lula, dona Marisa e a presidenta Dilma dividiram o palco com o presidente do PT, Rui Falcão, presidentes de partidos aliados, governadores e prefeitos na noite desta quarta-feira (20), no Anhembi, em São Paulo. O encontro marcou o início das comemorações de 10 anos de governo democrático e popular e foi realizado pelo Partido dos Trabalhadores, pela Fundação Perseu Abramo e pelo Instituto Lula.

A primeira parte do evento foi dedicada às saudações dos presidentes dos partidos aliados. Eles ressaltaram a satisfação de fazer parte do projeto que governou o Brasil nos últimos dez anos. “Estamos comemorando um novo país”, afirmou Roberto Amaral, presidente do PSB. Alfredo Nascimento, presidente do PR, relembrou o papel importante que o vice-presidente José Alencar teve durante todo o governo do ex-presidente Lula.
O prefeito Fernando Haddad e o presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcio Pochmann fecharam a rodada de falas. “Nunca imaginei que fosse uma mulher que fosse enquadrar o sistema financeiro internacional”, ressaltou Fernando Haddad, falando das realizações dos dez anos de governo. Pochmann destacou que os avanços desse período serão debatidos em seminários por Brasil. O primeiro acontecerá em Fortaleza, no próximo dia 28.
 
Depois da exibição de um pequeno vídeo sobre as realizações do último decênio, a cerimônia continuou com as falas do presidente do PT, Rui Falcão, do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma.
Rui Falcão destacou a importância da democracia em todo avanço que foi alcançado e lembrou que o que antes era visto como problema, tornou-se oportunidade. “Lula e Dilma provaram que aquilo que era considerado estorvo era na verdade força e impulso para crescer”. O presidente do PT também falou do problema do financiamento privado das campanhas, que caracteriza como insustentável. Ele ainda classificou como inadiável o alargamento da liberdade de expressão e da liberdade dos meios de comunicação.
“A palavra impossível é apenas para os fracos, para aqueles que não têm projeto”, começou o ex-presidente Lula. Ele destacou que a comemoração de hoje é um importante momento não apenas para o PT, mas para a história dos partidos populares e para a história do país. Lula destacou que muitos preconceitos precisaram ser vencidos para chegar até aqui.
Lula enfatizou ainda que o combate à corrupção é um tema do PT. “Nós aceitamos comparação, nós não temos medo da comparação. Inclusive a comparação no combate à corrupção (…) Eu duvido que tenha, na história do país, um governo que criou mais instrumentos e mais transparência para combater a corrupção do que o nosso”.
A presidenta Dilma terminou o evento ressaltando as marcas dos últimos dez anos: “É a década da esperança, do otimismo, da reconstrução nacional, da nossa autoestima, do despertar da força do nosso povo”. Ela destacou o papel de Lula como liderança do que classificou como “milhões de construtores que a última década teve”.
“Conquistamos a menor taxa de desemprego da história e 19 milhões de brasileiros conquistaram emprego com carteira assinada”, comemorou a presidenta. Dilma lembrou ainda a importância da sinfonia de opiniões que a democracia proporciona. Ressaltou, contudo, que não pode deixar de reagir àqueles que caracterizam os avanços do governo como “mero jogo estatístico” ou que insistem em exaltar o que falta fazer, sem mostrar o que foi feito. Ela defendeu ainda a reforma política e o uso dos royalties do petróleo para a educação.
Estiveram presentes ao evento os presidentes da base aliada do governo federal: Alfredo Nascimento (PR), Carlos Lupi (PDT), Gilberto Kassab (PSD), Renato Rabelo (PC do B), Valdir Raupp (PMDB), Roberto Amaral (PSB), Daniel Tourinho (PTC), Eduardo Lopes (PRB) e Robson Amaral (PTN), assim como o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto. Ministros de estados, governadores e prefeitos também estiveram presentes.

Dilma classifica 10 anos do governo democrático e popular do PT e aliados como década da esperança

Durante evento que marcou os 10 anos do governo democrático e popular do PT, juntamente com os partidos aliados, realizado ontem em São Paulo (SP), a presidenta Dilma Rousseff classificou esse período da história brasileira como “a década da esperança”.

“É a década da esperança, do otimismo, da reconstrução nacional, da nossa autoestima e do despertar da força do nosso povo”, discursou.

O evento para marcar os 10 anos de governo petista foi realizado pelo Partido dos Trabalhadores, pela Fundação Perseu Abramo e pelo Instituto Lula. Dilma dividiu o placo com o ex-presidente Lula e a esposa dele, dona Marisa Letícia, o prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o presidente nacional do PT Rui Falcão, o presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcio Pochmann, além de presidentes de partidos aliados, governadores e prefeitos convidados.

Dilma discursou no encerramento do evento. A presidenta destacou alguns dos avanços sociais e econômicos conquistados nos oito anos do governo Lula e nos dois primeiros anos da gestão dela.

“Conquistamos a menor taxa de desemprego da história e 19 milhões de brasileiros conquistaram emprego com carteira assinada”, comemorou. Ela defendeu ainda a reforma política e o uso dos royalties do petróleo para a educação.

O ex-presidente Lula, em discurso inspirado, afirmou que “a palavra impossível é apenas para os fracos, para aqueles que não têm projeto”. Ele destacou que a comemoração de ontem é um importante momento não apenas para o PT, mas para a história dos partidos populares e para a história do país.

Numa resposta às críticas da oposição, Lula afirmou que o PT não teme comparações, inclusive no combate à corrupção.

“Nós aceitamos comparação, nós não temos medo da comparação. Inclusive a comparação no combate à corrupção (…). Eu duvido que tenha, na história do país, um governo que criou mais instrumentos e mais transparência para combater a corrupção do que o nosso”, enfatizou.

Valor mínimo do Bolsa Família aumentará em dobro para março


O governo federal anunciou, que vai ampliar o Programa Brasil sem Miséria. A partir de 18 de março, o valor mínimo pago por pessoa a cadastrados no Bolsa Família subirá de R$ 36 para R$ 70. 
De acordo com o governo, 2,5 milhões de pessoas que recebem abaixo dessa quantia — seja somente de benefício ou pela soma dele com outra fonte de renda — terão o complemento e poderão, assim, sair da condição de extrema miséria. 
De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, a complementação da renda custará aos cofres públicos R$ 773 milhões somente este ano. 
O valor gasto com o Bolsa Família tem aumentado no governo Dilma Rousseff. Em 2010, último ano do mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, R$ 14 bilhões foram destinados ao programa. A previsão para 2013 é de investir R$ 23 bilhões.

LULA PARABENIZA MANDATO DE FÁTIMA BEZERRA

lula fatima
O clima de entusiasmo e confiança marcou a abertura da celebração dos dez anos do PT no Governo Federal, realizado em uma solenidade ontem (20), em São Paulo. A militância petista empolgada, que lotou o espaço, deu a largada das comemorações dos 33 anos do PT rumo à vitória de Dilma em 2014. A deputada federal Fátima Bezerra (PT), o presidente do PT-RN, Eraldo Paiva, e o poeta Crispiniano Neto estiveram presentes representando o RN.
No discurso, a presidenta Dilma Rousseff destacou os avanços conquistados por milhões de brasileiros na última década e lembrou a importante atuação da militância na eleição do presidente que deu início a esse processo. “Essa década tem milhões de construtores, mas essa década tem e teve o seu líder. Esse líder chama-se Luiz Inácio Lula da Silva. Foi ele, que com coragem e pioneirismo, começou a fechar a porta do atraso e a escancarar a porta das oportunidades para milhões de brasileiros e brasileiras. Esse país não elegeria um operário presidente e uma mulher presidenta se não tivesse a combativa militância do Partido dos Trabalhadores”, destacou a presidenta.
Com o bom humor usual, ovacionado pela plateia, Lula afirmou que os 10 anos comemorados consagram um novo jeito de fazer política no Brasil. Após ler trechos de seu discurso de reeleição, o ex-presidente exaltou a democracia da gestão petista, sua busca pela transparência e a atuação frustrada dos adversários na tentativa de desqualificar os avanços conquistados. “Nós não temos medo da comparação. Inclusive, comparação no debate da corrupção. A melhor resposta aos ataques sofridos pelo PT é a reeleição de Dilma em 2014”, finalizou Lula.
Ao encontrar com a deputada Fátima, o presidente Lula fez questão de parabeniza-la pelo seu mandato, especialmente sua luta em defesa da educação. Lula afirmou que tem informações da política do estado, e ficou indicado um encontro futuro para tratar das questões sobre conjuntura política, especialmente do Rio Grande do Norte.

Fonte: Blog do Pola Pinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário